rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

Futebol Ronaldinho Gaúcho

Publicado em • Modificado em

Em Israel, Ronaldinho Gaúcho diz que não será candidato nas próximas eleições

media
Ronaldinho em entrevista coletiva em Tel Aviv, Israel, nesta terça-feira 24/04/2018 Foto: Daniela Kresch

Em visita de pouco mais de 24 horas a Israel, o ex-jogador brasileiro Ronaldinho Gaúcho, 38 anos, afirmou que não pretende se candidatar a algum cargo público nas próximas eleições, que acontecerão em 7 de outubro, repetindo a trajetória de outros jogadores como o senador Romário.

 


Daniela Kresch, correspondente da RFI em Tel Aviv,

Ronaldinho se filiou em março ao conservador Partido Republicano Brasileiro (PRB) pouco tempo depois de anunciar a aposentadoria do futebol, em janeiro deste ano. Alguns tinham a expectativa de que se lançasse como candidato a deputado federal ou até mesmo senador por Brasília. No fim do ano passado, especulou-se que ele se candidataria a senador por Minas Gerais no partido Patriotas.

Mas Ronaldinho diz que, pelo menos por agora, não se sente preparado para a política. O ex-craque, no entanto, adaintou que vai apoiar seu irmão e empresário, Roberto de Assis, em suas aspirações políticas.

“Eu fui convidado a ir a Brasília, fui muito bem recebido, muito bem tratado. Não tenho interesse nenhum, é meu irmão que sempre teve esse lado de ajudar muito e se for da intenção dele, eu sempre vou estar do lado dele para apoiar. Mas eu hoje, não me sinto preparado para trabalhar com isso”, declarou.

Futebol e Copa do Mundo

Em entrevista coletiva no Hotel Hilton, em Tel Aviv, ele falou – em espanhol e francês – sobre suas expectativas quanto à Copa do Mundo da Rússia e se Lionel Messi – com quem jogou no Barcelona – e a Seleção Argentina podem surpreender.

“Messi já era um grande jogador desde que nasceu. Tive a sorte de vê-lo começar e tentar ajudar de alguma forma. A Argentina é uma das melhores seleções do mundo. Acho que eles podem fazer um grande Mundial, assim como o Brasil, porque o Brasil vem muito forte com um grande treinador e com grandíssimos jogadores. Então o Brasil pode chegar e lutar pelo Mundial, assim como a Argentina”, afirmou.

O ex-jogador também contou como se sente sendo “embaixador do Barcelona” pelo mundo, clube com o qual ganhou muitos títulos, entre eles a Liga dos Campeões da Europa, em 2006.

“Sou embaixador por natureza do Barça. É um prazer muito grande levar o nome desse grande clube pelo mundo. Não tenho palavras para agradecer a um clube tão grande como esse. Sou parte de uma geração que mudou um pouco o momento da história do clube, de um clube que não ganhava nada para um clube ganhador. Graças a Deus, ele continua ganhando, com jogadores incríveis. Feliz, muito feliz por tudo isso”, resumiu.

Ele também elogiou o time pelo qual jogou na França, o Paris Saint Germain, e disse acreditar que o clube pode atingir seu grande objetivo que é o de ser campeão europeu: “Acho que é uma coisa que virá com o tempo”, disse ele em francês. “O time tem jogadores muito bons. Acho que é um time muito jovem, mas que no futuro poderá ganhar qualquer coisa”.

Em Israel, para onde viajou a convite de uma marca de cerveja, Ronaldinho tem agenda cheia. Na noite de segunda-feira (23), se divertiu em boates de Tel Aviv. Fotos dele com fãs se tornaram virais nas redes sociais: “Gostei muito de Israel, mas quero conhecer mais ainda”, disse o jogador.

Nesta terça-feira (24), será recebido na casa da uma família israelense para vai assistir à semifinal da Liga dos Campeões da UEFA entre o Liverpool e a Roma. E nesta quarta-feira (25), será a estrela de um jogo de futebol com uma seleção de fãs israelenses escolhidos após testes. Seu time jogará contra uma seleção de celebridades locais.

“Vai ser um grande carnaval, uma grande alegria a todos”, disse Nir Gal, diretor de marketing da Tempo, empresa que produz a cerveja Heineken em Israel. “Queremos criar uma experiência pessoal e emocionante para o público de fãs de Israel, com mitos do futebol”.

Ídolo em Israel

Ronaldinho foi recebido como ídolo em Israel por fãs emocionados. Um deles, Danny Shushan, 36, afirmou que o ex-jogagor deixou como legado a magia do futebol brasileiro. Junto com dois colegas da página Barcamania, com 130 mil inscritos no Facebook, ele entregou ao ídolo uma plaquinha com o dizer, em português: “Querido Ronaldinho, obrigado pelos anos de mágica, seu legado será lembrado para sempre”. “Ele é um mito, não há ninguém como ele, com o seu carisma e alegria”, disse Danny.

Outro fã, o desenhista Beno Rotenberg, entregou um desenho do jogador com a bandeira do Brasil: “Ele é o Michael Jackson do futebol. O melhor de todos. Não há nada como o seu sorriso”.

Ronaldinho Gaúcho fez história no Brasil e na Europa, se consolidando como um dos maiores jogadores de sua geração. O gaúcho foi eleito melhor jogador do mundo pela FIFA em 2004 e 2005, época em que viveu o auge de sua carreira. Foi o único jogador na história que, além de ser eleito melhor do mundo, conquistou a Champions League, a Libertadores e a Copa do Mundo. Na Europa, jogou pelo Barcelona, pelo Milan AC e pelo Paris Saint-Germain. De volta ao Brasil, defendeu o Flamengo, o Fluminense e o Atlético Mineiro, antes de passar uma temporada no futebol mexicano.

A viagem a Israel é mais uma parada numa espécie de turnê mundial que o ex-craque está fazendo pelo mundo. Nas últimas semanas, ele esteve no Peru, no Japão, nos Estados Unidos, em Dubai, na Malásia e na Suíça, participando de eventos e jogos beneficentes.