rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês
Esportes
rss itunes

"Temos qualidade para chegar à final da Liga Europa", diz brasileiro do RB Salzburg

Por Elcio Ramalho

A vitória de 2 a 0 do Olympique de Marselha sobre o Red Bull Salzburg da Áustria na quinta-feira (26) deixou o time do sul da França muito mais perto de disputar a final da Liga Europa.

Com colaboração de Marco Martins, de Marselha

Diante do estádio Velodrome em plena ebulição, com mais de 62 mil torcedores vibrando nas arquibancadas, os jogadores superaram a equipe austríaca no primeiro jogo da semifinal com muita garra e também oportunismo de seus atacantes. Thauvin abriu o placar no primeiro tempo e Njie aumentou a vantagem na etapa final, completando bela jogada de Payet, um dos destaques da partida.

Os dois times haviam se enfrentado na fase de grupos, e o Salzburg levou a melhor com uma vitória em casa e um empate em Marselha. Mas durante a competição, o time francês embalou e vem liquidando os adversários.

O time austríaco, que vem de uma boa campanha, sentiu a pressão. O zagueiro brasileiro do Salzburg, André Ramalho, lamentou o desempenho da equipe durante o jogo: “Faltou criar um pouco mais no primeiro tempo. No segundo tempo, tivemos um pênalti que não foi marcado e uma bola na trave. Fizemos um segundo tempo melhor, mas faltou o gol”.

Olympique de Marselha e o Red Bull Salzburg voltam a se encontrar na segunda e decisiva partida da semifinal na próxima quinta-feira, na Áustria. Com a vantagem de dois gols, o OM tem mais margem para voltar a disputar uma final de uma competição europeia, o que não acontece desde 1999, quando perdeu a Copa da Uefa para o Parma por 3 a 0.

Apesar da empolgação do time francês, o zagueiro do RB Salzburg, André Ramalho, acredita numa virada e fala em jogo de “vida ou morte” para ir à final do dia 16 de maio no estádio de Lyon, com o vencedor do duelo entre Atlético de Madrid e Arsenal.  

 “Queremos muito, vamos brigar por isso e temos qualidade. Já demonstramos no decorrer da competição. A cereja do bolo seria a final e vamos fazer de tudo para chegar”, afirma.

Adaptação ao futebol austríaco

Paulista de Ibiúna, André Ramalho  é pouco conhecido do público brasileiro. Ele saiu jovem do país, aos 18 anos, depois de ter passado por categorias de base do Palmeiras e São Paulo para tentar seu futuro nos gramados europeus. Ele desembarcou na Áustria se tornou profissional no RB Salzburg.

Depois de conquistar o título de  campeão da Áustria na temporada 2014/2015, André se transferiu para o futebol alemão. Primeiro para Bayern Leverkusen e na sequência para o Mainz 05, mas a experiência não prosperou. De volta ao Salzburg, o brasileiro se diz adaptado ao futebol austríaco e ao clube que o devolveu a vaga de titular.

“Já conhecia o sistema de jogo, a cidade, as pessoas. Não foi difícil entrar bem rápido no time. Estou feliz com meu retorno e tenho orgulho de jogar com essa equipe”, declarou.

Apesar da pouca visibilidade do futebol austríaco, o zagueiro de 26 anos pretende conquistar títulos e entrar no radar dos treinadores que definem o seleto grupo de jogadores que vestem a famosa e cobiçada camiseta da seleção brasileira.

“Nunca vou deixar de sonhar com isso, com uma oportunidade. Estou tentando fazer o meu melhor, me mostrar e aparecer. Mas isso, obviamente será consequência de meu trabalho aqui no Salzburg. Se um dia o treinador, hoje o Tite, tiver olhos para mim, eu darei o máximo para minha seleção que tanto amo”, concluiu.

 

 

Maior jóquei brasileiro é homenageado no Hipódromo de Chantilly na França

"Isto não me afeta", diz jogador brasileiro vítima de racismo na Europa

"CBF é uma das confederações mais atuantes contra o racismo", diz autor de livro

Lutadora brasileira de 17 anos faz história no Mundial juvenil na Hungria

“Gostaria que não fosse necessário um time gay”: jogadores se unem contra o preconceito

Morte de jovem jogador de rúgbi reacende o debate sobre comoções cerebrais na França

Vitória na Copa deve aumentar número de inscritos em clubes amadores de futebol na França

Rússia é eliminada, mas turistas elegem donos da casa como “campeão da Copa”

Foco, confiança e boa noite de sono deram a Simona Halep o sonhado troféu de Roland Garros

Participação brasileira no torneio juvenil de Roland Garros é histórica

Didier Deschamps confia nos jovens da seleção francesa para surpreender na Copa

"Adoraria ser treinador do Neymar", diz Thiago Motta após despedida como jogador