rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês
Esportes
rss itunes

Olympique de Marselha tentará pela terceira vez conquistar Liga Europa

Por Elcio Ramalho

O futebol francês está em festa, e não apenas pela volta de Neymar à Paris para seguir com sua recuperação da fratura no dedo do pé e acompanhar o final da temporada do PSG.

A grande euforia veio com o Olympique de Marselha, que na noite de quinta-feira (03) passada carimbou sua vaga para a final da Liga Europa, a segunda competição interclubes mais importante da Europa depois da Liga dos Campeões.

Apesar da derrota na Áustria de 2 a 1 para o RB Salzbourg, o resultado garantiu a classificação do time francês. No jogo de ida, em casa, o OM havia vencido por 2 a 0 e com o gol marcado fora de casa na partida de volta, ganhou o direito de ir à final. Gol, aliás, polêmico porque veio de um escanteio assinalado erroneamente pelo juiz.

O português Rolando, zagueiro que entrou no segundo tempo, foi tratado como herói da classificação ao fazer o gol já no final da prolongação.

Cerca de 18 mil torcedores do Olympique acompanharam a emocionante partida no estádio Velodrome, em Marselha, e festejaram a classificação histórica até de madrugada nas ruas da cidade.

Dentro do estádio, os jogadores celebraram o momento que também foi de muito sofrimento, segundo o atacante Dimitri Payet, um dos grandes nomes da equipe.

“O gol chegou tarde, mas uma vez mais mostramos nossa força coletiva e mental que nos levou até a final. É uma emoção particular, compensa todo o trabalho feito, as diferentes etapas e jogos. Foi o 200° jogo da temporada. Foi tudo isso que sentimos. Foi uma verdadeira comunhão com nossos torcedores, com a cidade, com a França. Nós demos o nosso máximo, fomos compensados e é algo merecido”, disse.

O zagueiro Adil Rami relatou a emoção que tomou conta dos jogadores após 120 minutos de confronto: “Foi uma imensa emoção. Após o apito final, não tínhamos mais energia, nada. Foi uma verdadeira explosão de emoção dentro de campo. Alegria, tristeza, tudo! Foi magnífico. Esse momento é complicado porque a gente quer prolongar e aproveitar ao máximo, mas apenas nos classificamos para a final e agora temos que ganhá-la”.   

Fim do jejum?

A emoção tanto de torcedores quanto torcedores se explica pelo fim de um longo jejum. A última final de uma competição europeia disputada pelo OM foi há 14 anos. Na temporada de 2003/2004, o time do sul da França disputou e perdeu o troféu de campeão da Liga Europa para o Valência, da Espanha. Derrota de 2 a 0.  Cinco anos antes, em 1999, a equipe já havia deixado escapar o mesmo título após a goleada de 3 a 0 sofrida para o Parma, da Itália.

Nesta terceira tentativa de conquistar a Liga Europa, que também significa uma vaga direta para Liga dos Campeões, o Olympique terá pela frente outro adversário espanhol, o Atlético de Madrid.

Na quinta-feira, os “Colchoneros” garantiram a vaga na final ao vencerem o Arsenal por 1 a 0. Com mais experiência nos últimos anos nos gramados europeus, o atual vice-líder da Liga  espanhola é considerado amplamente favorito, segundo admite o treinador marselhês.

"Satisfação de ir à final. Mas não é um ponto final. Mas é claro que seremos os ‘outsiders’ contra o Atlético de Madrid mesmo jogando a final na França, em Lyon.  Mesmo que eles tenham mais chances do que nós de vencer, nós faremos de tudo para ganhar o troféu. Agora que chegamos à final, não vamos querer parar nesta etapa desta bela caminhada só porque chegamos à final”, disse Rudi Garcia.

Essa mesma opinião é compartilhada pelo jovem atacante Florian Thauvin, 25 anos, uma das esperanças do time. Nesta temporada, foram 24 gols em 50 partidas e 14 passes decisivos. Para ele, a pressão sobre o Atlético de Madrid pode ser favorável ao time francês e ele acredita na conquista da Liga Europa.

“É possível, tudo é possível no esporte. Eles são favoritos e a pressão está em cima deles, mas vamos dar o máximo. Sabemos que será complicado, mas esperamos conquistar essa final”, afirmou.

Antoine Griezmann sonha em conquistar o título da Europa League pelo Atlético de Madrid. Foto do 3/05/18 REUTERS/Susana Vera

Além da boa campanha na temporada e experiência dos últimos anos em decisões europeias, o Atlético de Madrid tem como um dos grandes trunfos o atacante francês Antoine Griezmann, em grande fase. Natural de uma cidade próxima de Lyon onde será disputada a final, o atacante disse contar com o apoio de toda a família, sem assumir o favoritismo para seu time.

“Vai ter muita gente, os familiares, meu pai, minha mãe, meus irmãos e espero minha filha e minha esposa. Será uma bela final em Lyon e espero que vamos conquistá-la”.

Os torcedores de Marselha prometem invadir a cidade e o estádio de Lyon, que vai ser o palco da grande final da Liga Europa entre Atlético de Madrid e Olympique de Marselha no dia 16 de maio.

Morte de jovem jogador de rúgbi reacende o debate sobre comoções cerebrais na França

Vitória na Copa deve aumentar número de inscritos em clubes amadores de futebol na França

Rússia é eliminada, mas turistas elegem donos da casa como “campeão da Copa”

Foco, confiança e boa noite de sono deram a Simona Halep o sonhado troféu de Roland Garros

Participação brasileira no torneio juvenil de Roland Garros é histórica

Didier Deschamps confia nos jovens da seleção francesa para surpreender na Copa

"Adoraria ser treinador do Neymar", diz Thiago Motta após despedida como jogador

"Temos qualidade para chegar à final da Liga Europa", diz brasileiro do RB Salzburg

"Correr é o melhor antidepressivo que existe", diz corredor brasileiro da Maratona de Paris

Thiago Silva dedica título do PSG da Copa da Liga ao treinador Unai Emery

Brasileiro Cirilo Cardoso conta como é jogar em um time do Partido Comunista da Rússia