rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês
A Semana na Imprensa
rss itunes

Projeto de extração de ouro na Guiana Francesa vira "mina da discórdia"

Por Adriana Moysés

A guerra pelo ouro da Guiana Francesa ganha manchete de capa esta semana da revista Aujourd'hui en France.

Neste sábado, 7 de julho, termina o prazo do debate público aberto no departamento ultramarino francês sobre o projeto de mineração chamado Montanha de Ouro (Montagne d'Or), próximo da localidade de Saint-Laurent-du-Maroni. Militantes ecologistas, indígenas, membros do governo, políticos locais, parte da população e o grupo de mineração de capital russo-canadense CMO, que aguarda o sinal verde para explorar a mina, situada numa zona de floresta primária da Amazônia, continuam em pé de guerra.

O ouro extraído seria utilizado na fabricação de computadores, telefones celulares e outros equipamentos para a indústria aeronáutica e espacial francesa. Se a iniciativa vingar, a exploração deverá começar em 2022, mas a partida ainda não está ganha para os defensores do projeto.

O eurodeputado Yannick Jadot, ecologista, visitou recentemente caciques da região. Os chefes tribais choraram ao descrever o grau de destruição que o empreendimento poderia causar à vida dos autóctones. Além do desmatamento de 800 hectares da floresta amazônica, a extração industrial causaria poluição do solo e das reservas naturais de água.

Aujourd'hui en France mostra que, em 12 anos, 85 toneladas de ouro poderiam ser retiradas da Montanha de Ouro. Mas essa estimativa é contestada pelo ministro do Meio Ambiente francês, Nicolas Hulot, que considera o projeto superestimado, inclusive em relação à criação de empregos. A oposição do ministro contrasta com a avaliação do presidente Emmanuel Macron, que vê vantagens para a população local e por isso lançou o debate público.

Extração legal não resolve problema do garimpo clandestino
 
Os defensores do projeto insistem no potencial de criação de empregos. Saint-Laurent-du-Maroni tem 42 mil habitantes, uma taxa de desemprego de 30% e de mais de 40% entre os menores de 25 anos. Se vencer a queda de braço, a empresa de mineração CMO promete criar 3.750 empregos diretos e indiretos. Mas a ONG WWF, que denuncia um desastre ecológico, diz que esse número é uma "miragem econômica".

Entre 2000 e 2010, a garimpagem ilegal explodiu ao redor da Montanha de Ouro. Os garimpeiros clandestinos, vindos principalmente do Brasil e do Suriname, seriam entre 5.000 e 10.000 pessoas, destaca a revista. "Eles vivem num mundo à parte, cercados de prostitutas e traficantes de armas." Na opinião do geógrafo François-Michel Le Tourneau, um especialista na região, os projetos de mineração legais não vão acabar com a garimpagem ilegal na Guiana Francesa. Os industriais visam o ouro do subsolo, enquanto os clandestinos correm atrás do ouro que está na superfície das rochas, de fácil acesso e rentabilidade imediata, conclui o geógrafo.

Psiquiatras franceses defendem Plano Nacional para tratar distúrbios mentais

Revista revela casos de assédio sexual nos conservatórios musicais da França

Livro mostra como poder econômico compra eleição e enfraquece democracia

Francesa mostra circuito de 200 motéis como atração turística do Rio de Janeiro

Revista L’Obs questiona “o que é ser um homem na era pós #Metoo”

Exposição com fotos inéditas dos bastidores da Nouvelle Vague é destaque na imprensa francesa

“Cães dos poderosos”: animais de estimação de presidentes franceses são capa da revista do Le Monde

Filme sobre Edir Macedo ilustra poder dos evangélicos no Brasil, diz Le Monde

Juiz uzbeque que criou confusão no Brasil é recordista de arbitragem na Copa

Finlândia tenta resolver crise de moradia oferecendo casa para os sem-teto

Nobel de Economia francês adverte contra discursos ultraconservadores distantes do interesse coletivo