rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês
Esportes
rss itunes

Rússia é eliminada, mas turistas elegem donos da casa como “campeão da Copa”

Por Elcio Ramalho

Cantando a plenos pulmões o hino nacional, os russos pararam para ver sua seleção neste sábado (7). Desacreditada no início da competição, a equipe conseguiu mobilizar todo o país. Depois de eliminar nos pênaltis a poderosa Espanha nas oitavas, a Rússia levou seu torcedor a acreditar, até o último minuto, que tudo era possível.

Enviado especial a São Petersburgo

Em São Petersburgo, bares lotados, e nas ruas torcedores se apertavam para acompanhar cada lance pela televisão.  A jovem Katia, não se interessava por futebol, até o começo deste Mundial. “O clima aqui está incrível. Antes, eu não via jogos de futebol. Mas agora na Copa, vejo todos os jogos da Rússia e, claro, espero que o time ganhe”, disse enquanto acompanhava a partida contra a Croácia.

Na disputa de uma vaga na semifinal contra os croatas, a seleção contou com o apoio de milhões de pessoas. E não apenas russos. O egípcio Islem se uniu aos torcedores de branco, azul e vermelho.  “Estou torcendo pela Rússia desde que a seleção egípcia perdeu, para curtir ainda mais minha estada aqui. Eles estão festejando desde antes do início da partida e espero que esta festa continue”. Ao lado dele, um mexicano, com o chapéu típico do país, se entusiasmou:  “Tem que aproveitar o ambiente. E se a Rússia ganhar, vamos poder aproveitar ainda mais”.

O brasileiro Fábio Souza se fascinou com o clima de festa. “Eu sabia que os russos eram fanáticos por futebol, mas me surpreendi. A Fan Fest está lotada, não consegui entrar, bares e ruas cheios. A seleção conseguiu parar e mobilizar o país. Todo mundo torcendo. Estou me sentindo no Brasil”, comentou. “A equipe é fraca tecnicamente. Seria legal se eles avançassem, seria legal ter a Rússia mais à frente”, completou.

Torcida não foi suficiente

Contra a Croácia, uma partida difícil, mas que começou bem. Um gol do atacante Cherichev, levou o país à loucura. Mas os croatas empataram logo depois com Kramaric, ainda no primeiro tempo.

Dominada no segundo tempo, a Rússia teve poucas chances, mas também não deixou o adversário marcar. Com o empate no tempo regulamentar, a partida foi para a prorrogação. Um gol de Vidal, colocou a Croácia à frente, o que levou muitos torcedores a quase desistir de torcer.

“Os russos são loucos por futebol, mas a equipe não é boa. Não estou feliz porque a equipe joga mal e não vai ganhar hoje”, comentou um jovem russo. 

Nos momentos difíceis da partida, um pequeno grupo de torcedores iniciava o apoio à seleção e a multidão logo seguia, e com ajuda dos brasileiros, que vieram a São Petersburgo pensando ver o Brasil na semifinal.

Quase no fim da prorrogação, Mario Fernandes, brasileiro naturalizado russo, deu novas esperanças à Rússia, levando a decisão para os pênaltis. Um drama vivido coletivamente.

Muito apoio e confiança no goleiro russo, Akinfeiev, que chegou a fazer uma defesa. Mas com dois pênaltis desperdiçados, os russos deram adeus à Copa e frustraram milhões de torcedores.

Minutos depois da decepção, muitos expressaram o orgulho de ter uma seleção que deixa o Mundial de cabeça erguida. Outras torcidas vão fazer a festa e poderão contar com o apoio dos anfitriões.

"Estou orgulhosa do meu país"

“Está tudo muito lindo, estou orgulhosa do meu país. Estou gostando muito de ver tantas pessoas reunidas, e tantos estrangeiros que vieram aqui. É muito bonita essa mistura de povos. São todos muito bem-vindos”, comentou uma russa, que acompanhou o jogo e a festa dos torcedores das ruas.

O alemão Fred Heinz Kaiser, que percorreu várias cidades do país neste Mundial, resumiu: “O clima é incrível, uma verdadeira festa, todo mundo alegre. O povo russo já é campeão desta Copa”.

Copa do Mundo feminina: Brasil atrai torcedoras pela primeira vez aos estádios

"Realizei um sonho de criança”, diz tenista brasileiro de cadeira de rodas em Roland Garros

Roland Garros atrai turistas brasileiros, mas tenistas do país decepcionam

Roland Garros tem estreia de quadras e apenas um brasileiro na briga pelo título de 2019

Finais europeias só com times da Inglaterra: o que explica o atual sucesso do futebol inglês?

“Ainda estou me adaptando à Fórmula E”, diz Felipe Massa após nono lugar no E-Prix de Paris

Primeira boxeadora do Irã a disputar luta no exterior decide ficar na França para fugir da prisão

“É um sonho”, diz juíza brasileira escalada para Mundial feminino de futebol

Preconceito e falta de oportunidades fazem dançarinos de hip hop trocarem Brasil pela Europa

Entusiasmo com Copa do Mundo deve impulsionar esportes femininos na França

Aos 41 anos, zagueiro Hilton bate recorde no futebol francês e quer seguir jogando

Proposta do breakdance nos Jogos de 2024 não é unanimidade entre os praticantes

Handebol: Haniel Langaro sonha com grandes clubes da Europa e Tóquio 2020

Lesão de Neymar gera dúvidas sobre futuro do PSG na Liga dos Campeões

Melhor dupla brasileira no Dakar 2019 prefere que rally continue na América do Sul