rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

Imprensa Neymar Paris Saint-Germain (PSG)

Publicado em • Modificado em

Neymar completa primeiro aniversário no PSG: "um ano de altos e baixos"

media
Neymar comemorou seu gol na vitória de 2 a 0 do PSG contra o Amiens pela Copa da Liga colocando a chuteira na cabeça. REUTERS/Benoit Tessier

O jornal Aujourd'hui en France desta quinta-feira (2) faz um balanço do primeiro aniversário do jogador Neymar no Paris Saint-Germain. "Neymar, um ano de altos e baixos" é a manchete do diário.


O jornal relembra que no dia 5 de agosto de 2017, o craque brasileiro pisava no tapete vermelho do PSG com um imenso sorriso, os cabelos oxigenados e a grande expectativa de uma nova era começando não apenas no clube, mas no futebol francês. "Mesmo Pelé elogiou a chegada de de Neymar a Paris", salienta o jornal.

Essas foram "as primeiras linhas de um singular romance", no qual o personagem principal foi "roubado do Barcelona por um valor nada modesto de € 222 milhões, "atraindo a atenção de todo o planeta". Uma história que começou bem para o atleta, avalia o diário, com cinco gols e cinco passes decisivos nas primeiras cinco partidas do jogador no PSG. Por sinal, cinco é também o número de andares de sua mansão em Bougival, lembra Aujourd'hui en France, destacando o cotidiano de ostentação do brasileiro, frequentando o premiado restaurante parisiense César ou a badalada boate Matignon.

Admiração, expectativa e incompreensão no PSG

Tudo ia de vento em popa até que em 17 de setembro do ano passado a rivalidade entre Neymar e Cavani ficou evidente, depois que os dois entraram em conflito para cobrar um pênalti. "Uma posição que surpreendeu o Parque dos Príncipes, com quem as relações de Neymar vão oscilar, durante toda a temporada, entre admiração, expectativa e incompreensão", escreve o jornal.

O drama piora quando, a partir de outubro, a imprensa esportiva espanhola começa a noticiar que o craque estava arrependido de ter deixado o Barcelona, reitera Aujourd'hui en France.

Além disso, o PSG não gostou nada de ver Neymar desfalcando o time em dezembro para viajar ao Brasil devido à urgências familiares. Ou da exagerada festa de aniversário no luxuoso Pavillon Cambon em fevereiro, a dois dias de uma partida contra o Sochaux. Tudo isso regado às fofocas sobre o namoro reatado com a atriz Bruna Marquezine.

Vai ou fica?

No campo, a segunda metade da temporada foi um suplício para o jogador, avalia Aujourd'hui en France, especialmente depois de sofrer a midiatizada lesão no pé, a poucos meses da Copa do Mundo. A falta de coordenação entre comunicação do PSG e da CBF aumentou o mal-estar já instaurado. Para piorar, a falta de posicionamento do craque durante meses sobre a possibilidade de uma transferência ao Real Madrid decepcionou o clube e a torcida.

Com a aproximação do aniversário de um ano de Neymar no PSG e depois de uma Copa do Mundo onde mais se falou do tempo que o craque passou no chão do que sobre sua performance, que Aujourd'hui en France classifica como "limitada", a história pode recomeçar. "Aos 26 anos, essa pode ser a época mais bela de sua carreira. Com a condição que ele renove a magia do verão de 2017", conclui o jornal.