rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

Itália Futebol Racismo

Publicado em • Modificado em

Inter de Milão é punida após ofensas racistas a jogador senegalês do Napoli

media
Momento em que o zagueiro do Napoli sai de campo após ser expulso e sofrer insultos racistas de parte da torcida do Inter de Milão. 26/12/2018 REUTERS/Alberto Lingria

Além dos dois jogos com portões fechados, time disputará outra partida com setor das arquibancadas interditado. Alvo de racismo, o zagueiro Koulibaly, do Napoli, foi punido com dois jogos de suspensão por ironizar árbitro ao ser expulso.


A Federação de Futebol da Itália anunciou nesta quinta-feira (27) que a Inter de Milão terá que disputar as duas próximas partidas no estádio San Siro com os portões fechados. O motivo foram as ofensas racistas proferidas por parte de sua torcida ao zagueiro Koulibaly, do Napoli, durante a vitória de 1 a 0 sobre o time do Sul da Itália.

Além dessas duas partidas, a Internazionale disputará uma outra partida em casa com um setor das arquibancadas fechado. A “Curva Norte”, local de onde partiram os gritos racistas contra Koulibaly, ficará vazio nesta terceira partida.

O zagueiro franco-senegalês também acabou punido com dois jogos de suspensão por ter aplaudido ironicamente o árbitro da partida após ter sido expulso de campo no segundo tempo.

“Lamento pela derrota [a Inter venceu por 1 a 0] e por ter deixado meus irmãos. Mas tenho orgulho da cor da minha pele, de ser francês, de ser senegalês, napolitano”, escreveu Koulibaly no Twitter.  

Próxima rodada do Campeonato Italiano não será suspensa

O presidente da Federação Italiana de Futebol, Gabriele Gravina, descartou a possibilidade de que, por conta dos incidentes racistas em Milão, a próxima rodada do Campeonato Italiano fosse suspensa, como chegou a ser especulado pela imprensa local.

O prefeito de Milão, Giuseppe Sala, condenou a atitude de parte da torcida do Internazionale. “Aqueles insultos contra Koulibaly foram uma vergonha. Foi um ato vergonhoso contra um atleta respeitado, que ostenta com orgulho a cor de sua pele, e também, em menor grau, contra as muitas pessoas que vão ao estádio para apoiar seu time e estar entre amigos”, disse o político, em sua página de Facebook após a partida de quarta-feira (26).

Carlo Ancelotti mandou aviso

"É uma vergonha, porque pedimos 3 vezes para a partida ser suspensa pelos cantos racistas a Koulibaly. Isso abalou ele. Mesmo com nossos pedidos, não suspenderam o jogo. Da próxima, a gente mesmo para. Mesmo que signifique a derrota", afirmou Carlo Ancelotti, treinador do Napoli.

O zagueiro também ganhou o apoio do craque da Juventus, Cristiano Ronaldo, que publicou uma mensagem em sua defesa nas redes sociais. “No mundo e no futebol precisamos de educação e respeito. Não ao racismo e a qualquer ofensa e discriminação”, escreveu o português em sua conta oficial no Instagram.

Já o procurador da Federação Italiana de Futebol (FIGC), Giuseppe Pecoraro, declarou que queria a suspensão da partida, mas que a decisão cabia às forças de ordem e ao juiz.