rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês
Esportes
rss itunes

Lesão de Neymar gera dúvidas sobre futuro do PSG na Liga dos Campeões

Por Elcio Ramalho

Neymar começou em Barcelona o tratamento para sua segunda lesão no pé direito. De acordo com a imprensa francesa, o astro brasileiro voou para Barcelona na quarta-feira (29) e no aeroporto, diante de um grupo de jornalistas, chegou a se irritar ao ser questionado se teria vontade de retornar para a capital catalã. Na quinta-feira, já estava de volta a Paris.

Para evitar uma nova cirurgia, o astro do PSG recebeu, segundo informações da imprensa francesa, uma injeção de plasma rico em plaquetas (PRP) para tentar voltar aos gramados no prazo previsto pelo clube, dentro de 10 semanas.

Horas antes de voar para Barcelona, o PSG lançou o comunicado oficial sobre a decisão tomada pelo clube após ter consultado na noite de terça-feira (28) um grupo de médicos e especialistas, entre eles o médico da seleção brasileira Rodrigo Lasmar.

Segundo o documento, Neymar aceitou o tratamento conservador proposto pelo conselho medical para a fratura do quinto metatarso do pé direito. A nota termina com uma manifestação de afeição do clube para com o jogador mais caro da história do futebol. O time elogiou sua coragem e determinação em superar a lesão, que é mais um duro golpe para o jogador, para o PSG e também para a seleção brasileira.  

No último domingo (27), o treinador da seleção, Tite, e o coordenador de seleções, Edu Gaspar, estiveram em Paris para observar os jogadores brasileiros do PSG em campo. Mas com a contusão de Neymar, a visita ganhou também uma dimensão particular. No dia seguinte, Tite falou com a imprensa, mas preferiu conter as palavras sobre a situação e salientou o desejo de ver o jogador recuperado o mais breve possível. “Nós tivemos um contato, uma visita, ela tem cunho pessoal, solidário, humano”, ressaltou. “Sei estar no meu lugar. É um momento de expectativa, de torcer para que todas as coisas possam ser solucionadas. Ele também está nesta expectativa. Vou fazer das minhas palavras as do Tuchel [treinador do PSG]: ele está triste e eu também estou”.

Já o coordenador de seleções deixou claro que o Paris Saint-Germain terá toda a prioridade não apenas de decisão, quanto da comunicação do caso Neymar. ““Quero lembrar que o Neymar é jogador do PSG. Temos que respeitar todas as informações que serão dadas pelo Paris Saint-Germain com o doutor Rodrigo Lasmar acompanhando. Depois vamos tomar as decisões técnicas no caso”, disse Gaspar

Ausência em jogos importantes

A lesão deixa Neymar fora dos jogos amistosos da seleção no mês de março, mas tudo indica que ele estará em campo defendendo o Brasil na Copa América, a partir de junho.

Mas até lá, muita cautela por parte da comissão técnica, que não pretende repetir um mal-estar observado na primeira lesão de Neymar, em janeiro do ano passado. Na ocasião, o jogador foi operado pelo doutor Lasmar no Brasil, onde ficou boa parte de sua recuperação, e a gestão da comunicação escapou em um primeiro momento das mãos do clube francês. Desta vez, está claro que o PSG decide e informa tudo sobre sua grande estrela, que segundo o jornal esportivo L’Équipe vive uma verdadeira maldição.

Isso porque o camisa 10 voltará a desfalcar o clube francês quando o time mais precisa, na fase das oitavas de final da Liga dos Campeões. Em 2018, o PSG foi eliminado pelo Real Madrid e o brasileiro não participou do jogo de volta após o primeiro problema no pé.

Desta vez, Neymar nem entrará em campo no dia 12 de fevereiro nos gramados, para o primeiro confronto contra o Manchester United na Inglaterra.  Sua volta, se as 10 semanas forem confirmadas, só poderá acontecer em meados de abril, na fase final da Liga dos Campeões.

Mas será que o PSG pode ir mais longe na competição, como sonham seus torcedores e dirigentes, sem contar com sua grande estrela, contratada aliás, para elevar o nível técnico do clube e fazê-lo entrar no seleto clube dos campeões da Europa?

PSG tem talentos suficientes sem Neymar?

A imprensa francesa e analistas seguem de perto o caso do brasileiro e questionam se o time parisiense tem talentos suficientes para superar os grandes clubes europeus sem seu principal jogador. Para muitos especialistas, o treinador alemão Thomas Tuchel tem cartas na manga e deve adaptar a equipe, contando com os talentos como o argentino Di María e o alemão Draxler, para atuarem ao lado do uruguaio Cavani e do francês Mbappé. Esta é a opinião do ex-jogador e atual comentarista no programa Radio Foot Internacional, Habib Baye.

“Com Neymar eles têm mais chances de ganhar a Liga dos Campeões, mas o treinador tem o Draxler, que pode atuar apoiando os dois atacantes, assim como Di María, que pode fazer esse mesmo papel. Ele tem muitas opções à disposição, e claro, vai ter que se adaptar. Sabemos que o Neymar não jogará contra o Manchester United. Mas com o elenco que o PSG tem, é um problema de rico e o clube não pode dizer que não é capaz de vencer o Manchester United. Neste momento, o time inglês ganha todas suas partidas, mas o Paris Saint-Germain é bem superior em termos de efetivo, mesmo sem Neymar”.

Críticas a Neymar serão julgadas pelo Comitê de Disciplina

Além dos problemas dentro de campo, a lesão de Neymar no último dia 23 de janeiro, durante o jogo contra o Strasbourg pelo campeonato francês, vencido pelo time parisiense por 2 a 0, provocou uma grande polêmica fora dos gramados.  

Depois da partida, o treinador da equipe de Strasbourg Thierry Laurey e o jogador Anthony Gonçalves criticaram a atitude de Neymar em campo, sugerindo que ele teria sido provocador contra os adversários. “Entendo que meus jogadores se cansaram de ver jogadores tentando provocá-los e irritá-lo. E, de vez em quando, ele tem o direito de levar. Não é proibido”, disse o treinador Laurey. “Se ele fizer isso contra o Manchester United, ele terá que ser levantado”, completou.

O jogador Gonçalves comentou a uma rede de televisão esportiva: "Neymar tem seu estilo, mas quando você quer jogar assim, não venha reclamar se você levar um chute, ele é um grande jogador, eu respeito ele (...) ele pode se divertir, mas não venha reclamar depois”.

O treinador Laurey chegou a se retratar e diante da imprensa e procurou se justificar, dizendo que não sabia que Neymar teria deixado o campo para fazer exames.

Mas a pedido do Conselho Nacional de Ética, o treinador e o jogador do Strasbourg terão que se explicar sobre as declarações sobre Neymar diante da Comissão de Disciplina da Federação Francesa de Futebol.

PSG aposta em experiência imersiva para atrair visitantes ao Parque dos Príncipes

Atividades esportivas gratuitas agitam verão parisiense com evento Paris Plages

Autonomia para árbitros punirem clubes com derrota diante de atos racistas é um avanço, diz Observatório

Futebol feminino dos Estados Unidos: títulos, polêmicas e admiração popular

Jogo do Brasil contra França vale vaga nas quartas da Copa e quebra de jejum

Copa do Mundo feminina: Brasil atrai torcedoras pela primeira vez aos estádios

"Realizei um sonho de criança”, diz tenista brasileiro de cadeira de rodas em Roland Garros

Roland Garros atrai turistas brasileiros, mas tenistas do país decepcionam

Roland Garros tem estreia de quadras e apenas um brasileiro na briga pelo título de 2019

Finais europeias só com times da Inglaterra: o que explica o atual sucesso do futebol inglês?

“Ainda estou me adaptando à Fórmula E”, diz Felipe Massa após nono lugar no E-Prix de Paris

Primeira boxeadora do Irã a disputar luta no exterior decide ficar na França para fugir da prisão

“É um sonho”, diz juíza brasileira escalada para Mundial feminino de futebol

Preconceito e falta de oportunidades fazem dançarinos de hip hop trocarem Brasil pela Europa