rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

Judo Paris Brasil Esporte

Publicado em • Modificado em

Rafaela Silva perde e Brasil tem dia sem medalhas no Grand Slam de Paris

media
A judoca Rafaela Silva no Grand Slam de Judô de Paris. 09/02/19 Foto: IJF

Maior esperança de medalha do Brasil no primeiro dia do Grand Slam de Judô de Paris, Rafaela Silva foi derrotada na disputa do bronze e o país ficou sem subir ao pódio.


Nesta edição do Grand Slam de Paris, um dos principais torneios do circuito mundial de Judô, a Confederação Brasileira trouxe apenas atletas da equipe feminina sênior, entre elas a campeã olímpica Rafaela Silva. Pela primeira vez a equipe masculina não veio para a capital francesa participar da tradicional competição.

Segundo Ney Wilson, gestor de alto rendimento da Confederação Brasileira de Judô (CBJ), a opção da entidade foi priorizar o Grand Slam de Dusseldorf , na Alemanha. Os atletas da seleção masculina passaram por um período de treinamento muito forte recentemente no Japão e ausência em Paris fez parte de um planejamento técnico.

O melhor resultado desde primeiro dia de competição veio com Rafaela Silva, na categoria 57kg. A carioca começou com vitória sobre a chinesa Wen Zhang, venceu por ippon a russa Diana Dzhigaros, mas nas quartas perdeu para a mongol Enkhriillen Lkhagvattogoo. Na repescagem, passou pela francesa Automne Pavia e disputou o bronze com a sul-coreana Jisu Kim, mas foi surpreendida e deixou o tatame decepcionada ao sofrer um ippon e sair sem premiação.

Na categoria 48kg, o Brasil tinha esperanças com Gabriela Chibana e Nathália Brígida, as duas deram adeus à competição na segunda luta. Gabriela estreou com vitória sobre a chilena Mary Dee Vargas Ley, mas perdeu na rodada seguinte para a Distria Krasniqi, do Kosovo. Já Nathália venceu a britânica Kelly Stadon mas parou na segunda rodada ao ser derrotada pela Narantsegseg Ganbaatar no golden score.

Estreia e decepção

Larissa Pimenta, 19 anos, que fez sua estreia na categoria sênior no Grande Slam, começou bem, com vitórias sobre a suíça Evelyne Tschopp e a chinesa Yangying WU.

Nas quartas de final perdeu para a a espanhola Nina Estefania Esteo Linne e foi para a repescagem, onde foi derrotada pela francesa Astride Gneto, ponto final de sua primeira experiência na competição. “Não saio totalmente satisfeita com o resultado, mas contente pela primeira experiência em um Grand Slam”, comentou a paulista de São Vicente que mudou da categoria ligeiro para meio-leve (52kg). Ela diz estar se sentindo bem com a adaptação a uma categoria que exige mais força.

A judoca Larissa Pimenta estreou na categoria sênior no Grand Slam de Paris. Foto: RFI Brasil/Elcio Ramalho

Na categoria, outra brasileira, Eleudis Valentim, também caiu na mesma fase. Depois de um bom início com vitórias sobre a australiana Tinka Easton e a belga Charline Van Stick, ela perdeu nas quartas para a mongol Urantsegseg Munkhbat e na repescagem foi superada pela italiana Odette Giuffrida. Já Tamires Crude Silva (57kg) foi eliminada na primeira rodada pela eslovena Kaja Kajker e saiu frustrada. “Minha meta era uma medalha, mas não deu. Continuo focada para ganhar uma vaga para os Jogos de Tóquio”, afirmou.

O Brasil também não foi bem na categoria 63 kg. Alexia Castilhos não passou da primeira luta contra a francesa Yasmine Horlaville assim como Ketleyn Quadros. Ela saiu pegou na chave logo de cara a atual campeã olímpica da categoria, a eslovena Tina Trstenjak e saiu derrotada no golden score. depois de sofrer um wazari.

Neste domingo, segundo dia de competição do Grand Slam de Paris, o Brasil voltará ao tatame da Accors Arena de Paris com as atletas Maria Portela e Ellen Santana (70kg), Samantha Soares e Mayra Aguiar (78kg) e Maria Suelen Altheman e Beatriz Souza (+78kg)