rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

Bélgica Governo Crise política

Publicado em • Modificado em

Belgas dão passo importante para formação de governo

media
Elio Di Rupo, presidente do Partido Socialista francófono, é apontado como possível futuro primeiro-ministro. REUTERS/Thierry Roge

Os partidos políticos da Bélgica que negociam há mais de 500 dias uma coalizão chegaram a um acordo sobre o orçamento de 2012, visto como o maior obstáculo para a formação de um governo. O rei Albert pediu rápidos passos para a formação de um novo gabinete.


"O rei está contente que um acordo foi atingido. O rei instruiu a formação de um governo o mais rápido possível", segundo comunicado. O acordo foi obtido após 17 horas de negociações entre seis partidos francófonos e flamengos da Bélgica, abrindo a via para uma solução à crise política que paralisa a Bélgica desde junho de 2010.

A informação foi confirmada pelo possível futuro primeiro-ministro Elio Di Rupo. A Bélgica está sem um governo formal desde as últimas eleições que ocorreram em junho do ano passado. Desde então, o país é dirigido por um gabinete provisório.

Os políticos belgas precisam encontrar formas de economizar 11,3 bilhões de euros para a Bélgica conseguir reduzir seu déficit para abaixo de 2,8% do PIB (Produto Interno Bruto) no ano que vem, em linha com determinações da União Europeia.

Na sexta-feira, a agência de classificação de risco Standard & Poor's reduziu a nota soberana da Bélgica de "AA+" para "AA", citando preocupações sobre a capacidade de captação de recursos pelo país e pressões de mercado em meio à crise da zona do euro. As "incertezas políticas" também contribuíram para o rebaixamento.