rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

Vladimir Putin Corrupção Escândalo Armas Demissão

Publicado em • Modificado em

Putin demite ministro da Defesa envolvido em fraude milionária

media
O ministro da Defesa Anatoly Serdyukov foi destituído por escândalo de fraude. REUTERS/B Mathur

O presidente russo, Vladimir Putin, demitiu hoje o ministro da Defesa, Anatoly Serdyukov, envolvido num escândalo de corrupção numa empresa estatal de equipamentos militares. Ele foi substituído no cargo por Serguey Shoygu, ex-ministro das Situações de Emergência e atual governador de Moscou. Serdyukov é investigado por fraudes de US$ 96 milhões na empresa pública Oboronservis, sob tutela do ministério.


No final de outubro, uma comissão especial russa iniciou uma investigação em uma empresa controlada pelo Ministério da Defesa, a Oboronservis, suspeita de abrigar um esquema fraudulento de venda de bens imobiliários, terrenos e ações. As investigações da comissão apuraram que responsáveis do Ministério da Defesa selecionavam bens imobiliários administrados pela empresa pública. Em seguida, investiam enormes quantias de dinheiro do orçamento da Defesa nesses imóveis para vendê-los, posteriormente, por meio de empresas afiliadas à Oboronservis, a preços inferiores aos praticados pelo mercado. Nesse esquema, US$ 96 milhões desapareceram do caixa do Ministério.

Até 2011, o ex-ministro Serdyukov presidiu o conselho de administração da Oboronservis. A empresa tinha atribuições muito variadas, entre elas a gestão de equipes do Exército. Serdyukov foi responsável pela supressão de 100 mil postos de oficiais. Ele também controlava as despesas com armamentos, o que causou atrito com outras personalidades ambiciosas do Kremlim. Subiu na hierarquia militar com a volta de Putin à presidência.

A destituição do ministro da Defesa coincide com um projeto do governo russo de aumentar consideravelmente o orçamento militar, o que será feito, segundo especialistas, em detrimento de gastos com saúde e educação. O novo titular dirigiu a pasta de Situações de Emergência durante quase 20 anos, até se tornar governador de Moscou. Shoygu tem a confiança de Putin, é reconhecido pela lealdade ao antigo chefe da KGB, e até hoje nunca foi citado em casos de corrupção.