rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

David Cameron Gibraltar Londres Reino Unido Relações internacionais

Publicado em • Modificado em

Reino Unido e Espanha ameaçam se processar por Gibraltar

media
Estacionamento perto da fronteira onde motoristas espanhóis deixam seus carros antes de entrar em Gibraltar (ao fundo), em foto do dia 9 de agosto de 2013. REUTERS/Jon Nazca

O governo do Reino Unido anunciou nesta segunda-feira que estuda um recurso legal para pressionar Madri a diminuir o controle fronteiriço sobre o território britânico de Gibraltar. O Ministério das Relações Exteriores da Espanha reagiu, dizendo que não renunciará ao procedimento.


As medidas, classificadas por Londres de desproporcionais e politicamente motivadas, são obrigatórias por conta do acordo de Shengen - do qual a Grã Bretanha não é signatária -, argumentam os espanhois. Seria uma forma de combater o contrabando na região.

"O Primeiro Ministro (David Cameron) está claramente decepcionado com a desistência da Espanha em afrouxar os controles suplementares neste fim de semana", afirmou um porta-voz inglês. "Estamos examinando que vias legais nos estão abertas", garantiu. E precisou que "será um procedimento sem precedentes". Portanto, ele será profundamente estudado antes da abertura de um processo. De sua parte, Madri anunciou que estuda a possibilidade de levar a discórdia às Nações Unidas ou ao Tribunal Internacional de Haia.

Recorrente, a tensão entre os dois país sobre Gibraltar cresceu no final de julho. Autoridades do território ultramarino irritaram o governo espanhol ao colar ao Mediterrâneo, na baía de Algesiras blocos de cimento que formam um arrecife artificial, que impedem a entrada de pescadores espanhois nas águas. O governo local acusa Madri de ter reforçado os controles aduaneiros, que provocam longas filas na fronteira, em represália.

Para piorar o clima, a Inglaterra começou a preparar uma esquadra marítima nesta segunda-feira para fazer manobras no mediterrâneo. Um dos navios fará uma escala em Gibraltar. Apesar de Londres garantir que os exercícios estão previstos há longa-data, a imprensa espanhola os tem tratado como uma "tentativa de intimidação".