rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

Bulgária Emprego/trabalho Romênia União Europeia

Publicado em • Modificado em

Romenos e búlgaros podem trabalhar a partir de hoje em todos os países da UE

media
Os romenos e búlgaros podem a partir de hoje trabalhar em todos os países da União Europeia. AFP/DANIEL MIHAILESCU

As restrições para romenos e búlgaros que buscam trabalho nos países da União Europeia (UE) serão removidas a partir desta quarta-feira, dia 1º de janeiro. Uma das principais mudanças será a suspensão das limitações legais dos contratos de longa duração para os trabalhadores menos qualificados dos dois países.


Letícia Fonseca, correspondente da RFI em Bruxelas

O debate sobre a questão continua intenso, principalmente na Grã-Bretanha. Por temer uma migração massiva dos romenos e búlgaros, e em consequência, a desestabilização do mercado de trabalho no país, o governo britânico quer limitar a livre circulação de pessoas dentro do bloco.

Recentemente, o primeiro-ministro britânico, David Cameron, anunciou que a Grã-Bretanha não irá conceder benefícios sociais a imigrantes da União Europeia nos três primeiros meses após sua chegada, além de expulsar os que não conseguirem emprego dentro de nove meses. A Comissão Europeia reagiu dizendo que a proposta de Cameron é uma violação de um direito fundamental no bloco. Para analistas, o discurso do premiê britânico, de olho nas eleições, é uma jogada política.

Apesar da Romênia e Bulgária serem integrantes da União Europeia desde 2007, seus cidadãos tiveram que esperar sete anos para poder buscar empregos em outros países do bloco. A MigrationWatch, organização que faz lobby pelo aumento das restrições migratórias, estima que de 50 mil a 70 mil romenos e búlgaros devem chegar na Grã-Bretanha a cada ano, até 2019. Segundo especialistas, o levantamento das restrições pode provocar um impacto político por causa da tensão no mercado de trabalho criada pela crise econômica.