rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

Espaço Agência Espacial Europeia Planeta Terra Robô

Publicado em • Modificado em

Energia do robô Philae está perto do fim, dizem cientistas

media
Primeira imagem panorâmica do cometa "Tchouri". ESA/Rosetta/Philae/CIVA

A missão do robô Philae, que realizou a façanha de pousar em um cometa a 500 milhões de quilômetros da Terra nesta semana, pode estar com as horas contadas. Segundo os cientistas da Agência Espacial Europeia, a bateria do aparelho está chegando ao fim e ele está pousado em uma região onde não consegue captar a energia solar.


O robô Philae está em uma corrida contra o tempo. Nesta sexta-feira (14), ele começou a realizar as primeiras operações de exploração do solo do cometa “Tchouri”, mas, provavelmente, não terá energia suficiente para enviar todos as informações para a Terra. “Se não recebermos nenhum dado até às 22 horas (19 horas em Brasília), isso significa, provavelmente, que as baterias do robô acabaram”, disse Stephan Ulamec, um dos responsáveis da missão.

“Ele tem apenas mais algumas horas para viver sem a sua bateria. Em seguida, os painéis solares deveriam ser ativados, mas o robô pousou numa área de sombra”, explicou Philippe Gaudon, chefe do projeto Rosetta no CNES (Centro National de Estudos Espaciais) em Toulouse, sul da França.

Período de hibernação

O robô tem a missão de encontrar moléculas orgânicas no centro do cometa “Tchouri”. Essas amostras poderiam ter tido um papel no surgimento da vida na Terra, já que os cometas são considerados os objetos mais primitivos do sistema solar. Mesmo com o fim antecipado dessa “primeira sequência de vida de Philae”, os cientistas comemoram os primeiros resultados. “Todos os instrumentos instalados funcionaram. Foi um grande sucesso”, afirmou Gaudon.

Inicialmente, a equipe de cientistas esperava que Philae funcionasse, ainda que mais lentamente, até março de 2015 e, depois, entrasse em um “período de hibernação”. Com o problema na energia identificado nesta sexta-feira, essa pausa na atividade do robô começará mais cedo que o previsto.

Essa mudança no cronograma, porém, parece não preocupar a equipe responsável pela missão que espera que o robô “desperte” em agosto do ano que vem. “Nesse momento, o cometa vai estar muito ativo e muito perto do sol. Com um pouco de sorte, as baterias solares do robô vão se recarregar e acordá-lo”, diz Gaudon. Essa proximidade do sol, porém, será fatal para Philae que vai se desintegrar, posteriormente, com o calor.

Próximos passos da missão Rosetta

A sonda Rosetta, que já percorreu mais de 6,5 bilhões de km no espaço vai acompanhar os movimentos do cometa “Tchouri” até, pelo menos, 13 de agosto de 2015, quando o cometa estará mais próximo do sol. O projeto começou há 20 anos e custou € 1,3 bilhão.