rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

Grécia Eleições 2014 Presidência

Publicado em • Modificado em

Grécia organiza último turno de eleição para presidente por voto indireto

media
Parlamento grego, em Atenas, em foto de 23 de dezembro de 2014. REUTERS/Alkis Konstantinidis

A Grécia organiza nesta segunda-feira (29) o terceiro e último turno da eleição para presidente, por voto indireto, dos 300 deputados que compõem o parlamento grego. Caso o ex-comissário europeu Stavros Dimas não seja eleito, o parlamento poderá ser dissolvido.


O ex-comissário é o único candidato na disputa. Ele não conseguiu, nos dois turnos precedentes, obter os 180 votos necessários para sua eleição. Se houver um novo fracasso hoje, o primeiro-ministro grego, Antonis Samaras, será obrigado a dissolver o parlamento em dez dias e convocar eleições legislativas antecipadas entre 25 de janeiro e 1° de fevereiro, como prevê a Constituição.

Partido de extrema-esquerda pode vencer legislativas

Se esse cenário se confirmar, há grandes chances do partido de extrema-esquerda Syriza, do carismático líder Alexis Tzipras, vencer as legislativas e suspender o pagamento da dívida grega. Os gregos não aguentam mais as política de austeridade e querem mudanças.

A Comissão Europeia e os credores internacionais estão preocupados com essa nova crise política na Grécia. O país recebeu 240 bilhões de euros de ajuda internacional para evitar a falência e continua dependente de ajuda externa até fevereiro do ano que vem. Repercutindo a tensão, a bolsa de Atenas abriu hoje com queda de 5%.