rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

França Germanwings Acidente Avião Alemanha Lufthansa Alpes

Publicado em • Modificado em

Lufthansa tem quase R$ 1 bilhão para indenizar famílias das vítimas

media
A companhia aérea Lufthansa terá R$ 1 bilhão para indenizar as famílias das vítimas. REUTERS/Albert Gea

Uma semana após a queda do avião da Germanwings nos Alpes Franceses, a Lufthansa, proprietária da filial de baixo custo, anunciou nesta terça-feira (31) que dispõe de US$ 300 milhões, quase R$ 1 bilhão, para indenizar as famílias das vítimas da tragédia. As buscas por destroços e vítimas do acidente foram retomadas na manhã de hoje.


O valor para a indenização das famílias das vítimas do acidente com A320 da Germanwings foi acertado com as seguradoras da companhia alemã. “Confirmo que US$ 300 milhões foram anunciados a título de provisão” para cobrir os pedidos das famílias, assim como a perda do avião acidentado, declarou o porta-voz da Lufthansa.

Segundo a imprensa alemã, as indenizações em casos de tragédias aéreas se situam geralmente em torno de US$ 1 milhão por passageiro. Mas a presença de vítimas americanas no voo da Germanwings pode aumentar esse valor.

Retomada das buscas

As buscas no local do acidente, nos Alpes franceses, foram retomadas na manhã desta terça-feira. A prioridade é encontrar a segunda caixa-preta com os dados do voo.

Desde segunda-feira (30), as equipes podem chegar ao local por uma estrada de terra, construída no último final de semana. O acesso mais fácil agilizou o resgate dos destroços. Mais de quatro mil peças do avião e restos mortais já foram recolhidos até agora, informou uma fonte da polícia francesa, responsável pela operação. Dois helicópteros ajudam nas buscas.

A operação de resgate está prevista para acabar no dia 8 de abril. Em seguida, o local será limpo por uma empresa especializada contratada pela Lufthansa.

Antecedentes suicidas

O A320, que fazia a rota Barcelona-Dusserldorf, caiu na manhã do dia 24 de março, nos Alpes Franceses, com 150 pessoas a bordo. O copiloto alemão é suspeito de ter derrubado o avião. Os investigadores alemães informaram ontem que Andreas Lubitz, de 27 anos, fez um tratamento contra tendência suicidas, há alguns anos, antes de entrar para a aviação.