rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

Ucrânia Economia Dívida Calote União Europeia

Publicado em • Modificado em

Ucrânia ameaça congelar pagamento da dívida externa

media
O primeiro ministro ucraniano, Arseni Yatseniuk, em reunião da Comissão Europeia REUTERS/François Lenoir

A Ucrânia, ainda imersa no conflito armado no leste e à beira de um colapso financeiro, ameaçou congelar o pagamento de sua imensa dívida externa, se a União Europeia não aceitar sua proposta de restruturação. Caso as negociações falhem, o governo pode aplicar uma moratória sobre o pagamento, de acordo com um projeto de lei aprovado recentemente pelos deputados ucranianos.


Diante do Parlamento em Kiev, o primeiro ministro Arseni Iatseniuk afirmou que não é possível esvaziar o bolso dos ucranianos para pagar a dívida. Ele endereçou uma mensagem direta aos credores privados: "Se vocês querem apoiar a Ucrânia, vítima da agressão russa, que perdeu a Crimeia, além de 20% de sua economia, ajudem com bilhões de dólares".

O governo afirma que a dívida externa cresceu em 40 bilhões de dólares durante o governo pró-russo do presidente Viktor Ianukovitch, que foi destituído em fevereiro de 2014. Mas, no primeiro trimestre deste ano, o PIB recuou mais 17,6%, depois de quase três anos de recessão e de um ano da guerra que fez a Ucrânia perder um quarto de suas exportações.

Nos próximos quatro anos, o país deve devolver 30 bilhões de dólares a seus credores, mas espera renegociar 15,3 bilhões deste montante. A Ucrânia está sob um resgate financeiro de 17,5 bilhões de dólares orquestrado pelo FMI. Em março deste ano, Kiev recebeu 5 bilhões.