rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

Grécia Dívida Crise Negociações FMI Eurogrupo

Publicado em • Modificado em

Grécia propõe reestruturação da dívida em dois anos; Eurogrupo se reúne para discutir pedido

media
O prazo para a Grécia pagar a parcela de € 1,6 bilhão de sua dívida ao FMI vence nesta terça-feira (30), no horário de Washington. REUTERS/Dado Ruvic

A Grécia propôs a seus credores fechar um contrato de dois anos com o Mecanismo Europeu de Estabilidade (MEE) para cobrir as suas necessidades financeiras e reestruturação de sua dívida. A informação foi divulgada nesta terça-feira (30) pelo gabinete do primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras. O MES ainda não se pronunciou sobre o assunto, mas o Eurogrupo se reúne no final desta tarde em caráter de urgência para discutir a proposta.


Em um comunicado intitulado "pedido aos MES", o governo grego explica que continua na mesa de negociações, apesar da organização de um referendo no próximo domingo (5) sobre as discussões com os credores. Atenas propõe um acordo de dois anos ao órgão "para a cobertura completa das suas necessidades financeiras e reestruturação da dívida".

O comunicado da Grécia não dá detalhes sobre o conteúdo do novo plano de assistência apresentado, enquanto o atual expira à meia-noite desta terça-feira (horário de Washington) e o país vai perder o acesso a US$ 16 bilhões de ajuda de todos os tipos (empréstimos, lucros sobre os títulos detidos pelo BCE, fundos de ajuda).

Apesar das várias tentativas nos últimos dias, Atenas não conseguiu fechar um acordo com os seus credores - União Europeia, Banco Central Europeu e Fundo Monetário Internacional.

"O governo grego vai procurar até o fim obter uma solução viável dentro do euro", acrescentou o comunicado de Tsipras. Segundo ele, é o referendo de domingo que vai apontar qual é o melhor caminho para o país.

Alemanha se recusa a debater nova proposta

Os ministros das Finanças da zona do euro se reúnem no final desta tarde para discutir a proposta da Grécia. A chanceler alemã, Angela Merkel, informou, no entanto, durante uma reunião com deputados de seu partido, que Berlim não está disposta a debater um novo pedido de ajuda de Atenas antes do referendo do domingo. Vários líderes europeus deram a entender que uma vitória do 'Não' deveria ser interpretado como uma rejeição à permanência do país na zona do euro.

Acordo de última hora

As negociações sobre a dívida grega esquentaram nas últimas horas, antes de expirar o prazo final para que a Atenas quite sua dívida com o FMI. Nesta segunda-feira (29), o presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, propôs a Tsipras, um acordo de "último hora". A solução seria aceitar o último plano dos credores, apresentado no sábado, e se comprometer a pedir que os gregos votassem sim no referendo de domingo.

(Com informações da AFP)