rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

Acordo Grécia Crise Dívida Plano de austeridade Ajuda financeira Alexis Tsipras

Publicado em • Modificado em

Votação de plano de austeridade no parlamento da Grécia é arriscada

media
Cerca de 700 pessoas protestaram na noite de segunda-feira (13), em Atenas, contra o acordo entre a Grécia e os credores. REUTERS/Christian Hartmann

Os partidos no poder na Grécia ¬- o Syriza, de esquerda radical, e os nacionalistas de direita ANEL - começam a examinar nesta terça-feira (14) o rígido plano de reformas imposto pelos credores europeus em troca de um terceiro plano de ajuda financeira e da permanência do país na zona do euro. O primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, tem até amanhã (15) para votar e aprovar o pacote de medidas.


O acordo aprovado ontem em Bruxelas, após 17 horas de negociações, prevê uma ajuda de cerca de € 86 bilhões em três anos. Em troca, propõe aumento de impostos e redução das aposentadorias na Grécia. A votação no parlamento grego é arriscada. A casa é dominado por deputados anti-austeridade, a começar pelo Syriza, de Tsipras.

Eleitores gregos, que votaram em massa no referendo contra a austeridade, se sentem traídos. Ontem, em uma manifestação em Antenas que reuniu mais de 700 pessoas, bandeiras do Syriza foram queimadas e deputados do partido ameaçaram deixar a sigla.

Apesar da tensão, o ministro do Interior grego, Nilos Voutsis, afirmou nesta manhã que o "parlamento adotará as medidas necessárias ao retorno da normalidade na Grécia". Só depois da aprovação pelos deputados gregos é que o plano poderá ser examinado pelos parlamentos dos outros países da zona do euro. A assembleia francesa examina o texto na quarta-feira e o Bundestag alemão na sexta-feira (17).

Financiamento transitóro

Em Bruxelas, o Eurogrupo continua a discutir nesta terça-feira um financiamento transitório e imediato, da ordem de € 12 bilhões, para que o país cumpra seus compromissos até a aprovação do novo plano de ajuda. Enquanto isso, o Banco Central Europeu continua alimentando os bancos gregos, que permanecem fechados até a próxima quinta-feira (16).

Os mercados estão na expectativa. Depois de quatro dias de altas, as principais bolsas europeias abriram hoje em ligeira queda. No início do pregão, Paris perdia 0,13%, Londres 0,11% e Frankfurt 0,37%. O euro também tem leve desvalorização, sendo cotado a menos de US$ 1,10.