rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

Máfia Itália Funeral Crime

Publicado em • Modificado em

Funeral de luxo para mafioso Vittorio Casamonica irrita governo italiano

media
Povo carrega o caixão de Vittorio Casamonica no subúrbio de Roma. REUTERS/Stringer

Uma carruagem puxada por seis cavalos, pétalas de rosas lançadas de um helicóptero, música de fundo com a trilha sonora de O Poderoso Chefão: o funeral nada discreto de um chefe da máfia na quinta-feira (20) chamou a atenção em Roma, para desgosto das autoridades italianas.


Os jornais italianos dedicam várias páginas nesta sexta-feira (21) para os detalhes do funeral de Vittorio Casamonica, que morreu aos 65 anos vítima de câncer.

Ele era considerado o chefe do clã dos Casamonica, de origem sinti, presente principalmente na região ao sul de Roma e suspeito de fraude, extorsão e tráfico de drogas.

Apesar de ter sido detido em várias ocasiões, Casamonica nunca chegou a ser condenado. "Vittorio Casamonica, rei de Roma", afirmava um cartaz na entrada da igreja San Giovanni Bosco, no subúrbio de Roma, que recebeu o funeral. Outra inscrição junto a uma foto do mafioso dizia: "Eu conquistei Roma, agora vou conquistar o paraíso".

“Rei de Roma”

O ministro do Interior, Angelino Alfano, exigiu explicações e a prefeitura citou uma "falha no sistema". "É inaceitável que um funeral se torne instrumento para enviar mensagens mafiosas", criticou o ministro. O padre que presidiu a cerimônia afirmou à imprensa que não estava a par do passado do falecido nem da decoração planejada pela família.

A polícia local minimizou o caso, dizendo que o clã Casamonica há muitos anos não tem mais força e atuaria "à margem". Também disse que o helicóptero foi alugado legalmente. 

A “famiglia” dos Casamonica atua desde os anos 1970 na região de Castelli Romani, subúrbios de Roma, e também no litoral da região de Lazio, embora suas origens estejam na região de Abruzzo, na costa leste italiana.

(Com informações da AFP)