rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

Reino Unido Austeridade David Cameron Manifesto

Publicado em • Modificado em

Mãe de David Cameron assina petição contra austeridade no Reino Unido

media
Primeiro-ministro britânico, David Cameron (d), com a mãe, Mary Cameron, em imagem de 2013. STEFAN WERMUTH/REUTERS

A mãe e a tia do primeiro-ministro britânico David Cameron, grande defensor da austeridade orçamentária, assinaram um manifesto contra cortes públicos no Reino Unido. A informação foi divulgada pela imprensa do país nesta terça-feira (8).


Mary Cameron, de 81 anos, uma juíza aposentada, diz que fez questão de assinar o documento que faz parte de uma campanha para salvar dezenas de centros infantis no condado de Oxfordshire, no sul da Inglaterra, que o governo pretende fechar. "Uma mãe sempre sabe o que é melhor", escreve The Mirror.

Ao jornal The Sun, a mãe do primeiro-ministro declarou que não está diretamente envolvida na campanha, mas apoia a causa. "Onde os centros infantis são necessários, eles são inestimáveis", ressaltou.

Não bastasse o puxão de orelha da mãe, Cameron foi criticado pela tia, Clare Currie, de 78 anos, que também assinou o manifesto. "Os centros são absolutamente essenciais. Todas as pesquisas mostram que eles tornam a vida das crianças muito melhores. É um erro cortá-los", alfinetou.

Segundo The Sun, Mary Cameron teria sido convencida por Clare Currie a protestar contra o corte. O governo britânico alega que com essa economia pouparia £ 8 milhões (R$ 45 milhões).

"Nem a mãe de David Cameron aguenta mais"

Os organizadores da campanha estão orgulhosos de ver a família do premiê se opondo ao fechamento dos centros infantis. "Mary Cameron e Clare Currie são pessoas muito educadas, com opiniões políticas", declarou a porta-voz da ação, Jill Huish, ressaltando que a assinatura delas foi essencial.

Segundo Huish, o protesto da mãe e a tia do premiê ressaltam o quanto a austeridade está indignando os cidadãos britânicos. "Nem a mãe de David Cameron aguenta mais (...) Parece estranho que ele seja incapaz de defender os centros dos cruéis cortes que seu governo impõe às autoridades locais", reiterou.

Para The Mirror, Mary Cameron "está mais próxima da opinião pública britânica que seu filho" e teria pedido ao premiê que acabe com o programa de austeridade que o diário classifica como "fanático e ideologicamente motivado". "Ele está destruindo as comunidades", publica o tabloide.