rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês
RFI CONVIDA
rss itunes

Humilhação social alimenta terrorismo na Europa, diz especialista

Por Adriana Moysés

A onda de atentados dos últimos dias na França e Alemanha dá a impressão de que os europeus têm fracassado em sua estratégia contra o terrorismo. Para entender o contexto desses ataques, a RFI ouviu o português Álvaro de Vanconcelos, ex-diretor do Instituto de Estudos de Segurança da União Europeia, autor de inúmeros artigos, relatórios e livros sobre segurança internacional. Atualmente, ele integra a Reforma da Iniciativa Árabe, uma rede de pequisadores de temas do mundo árabe.

Vasconcelos considera a intensificação dos ataques na Europa uma consequência direta dos conflitos na Síria e no Iraque, além de um problema de inserção de jovens propensos à violência. "Os jovens que têm praticado atos de terror na Europa são pessoas isoladas, marginalizadas em suas próprias comunidades. Eles aderem à violência por niilismo e falta de perspectivas, em uma espécie de vingança por se sentirem humilhados em sociedades que propagam a islamofobia e o racismo", observa o especialista. Segundo Vasconcelos, a maioria deles tem um conhecimento rudimentar do islamismo.

Apesar de guerra, Brasil participa de Feira de Damasco, relata diplomata Bruno Razente

"Europa precisa abandonar discurso islamofóbico para conter atentados", diz analista

"Brasil precisa ser repensado em termos de meio ambiente", diz ambientalista

Igor Fuser: “Brasil e vizinhos latinos jogaram lenha na fogueira da crise na Venezuela”

"Prêmio em Locarno me dá ânimo para continuar":Sara Silveira, produtora

Entender o nazismo é importante para a juventude, diz autora e tradutora de livro sobre Hitler

Prevenção pode resolver consumo do "purple drank" na França, diz especialista

“Cultura brasileira seria mais pobre sem Rouanet”, diz ministro Sérgio Sá Leitão

Em 20 anos, nunca vi uma crise tão longa no mercado de arte brasileiro, diz galerista Maria Baró

"População trans ainda é muito estigmatizada", diz Inês Dourado, especialista em HIV

"Flip está ficando intimista de novo": Olivier de Corta, francês que vive em Paraty

Luiz Loures, da Unaids: “Jovens pensam que epidemia da Aids é coisa do passado”