rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

Itália Terremoto Vítimas

Publicado em • Modificado em

Itália decreta luto nacional para homenagear vítimas de terremoto

media
O presidente italiano Sergio Matarella chega a Amatrice depois do terremoto que devastou a cidade. (Foto: Reuters)

O governo italiano decretou luto nacional neste sábado (27) em homenagem às vítimas do terremoto ocorrido na quarta-feira no centro do país, que deixou mais de 281 mortos e 338 feridos, que estão hospitalizados, segundo um último balanço divulgado pelas autoridades italianas.  


As bandeiras foram hasteadas a meio mastro em todo o país para os funerais das vítimas de Arquata e Pescara del Tronto, duas das três cidades mais atingidas pelo tremor. A cerimônia acontece no ginásio de Ascoli Piceno, no pé dos Apeninos, e terá a participação do chefe de governo Matteo Renzi e do presidente Sergio Mattarela.

Na última sexta-feira, cerca de trinta caixões foram colocados no ginásio, onde muitas famílias vieram velar seus parentes. Entre as vítimas, está a menina Giulia, de 9 anos, cujo corpo protegeu a irmã Giorgia, de 5 anos, que foi retirada dos descombros e sobreviveu à tragédia.

Uma outra cerimônia, sem os corpos, também está prevista na próxima semana em Accumoli e Amatrice. Em Pomezia, no sul de Roma, o bispo da diocese local  também celebrou uma missa coletiva para seis vítimas, nesta sexta-feira.

As equipes de resgate ainda continuam em busca de sobreviventes, principalmente em Amatrice. Segundo Luigi D'Angelo, responsável local da Proteção Civil, as operações vão continuar até se ter certeza de que não "sobra mais ninguém". As esperanças, entretanto, são cada vez mais remotas. O trabalho das equipes também foi dificultado pelas réplicas -uma delas atingiu 4,8 na escala Ritcher na sexta-feira.

Tragédia deixou pelo menos 2500 desabrigados

A catástrofe deixou pelo menos 2500 desabrigados, que passaram a noite de sexta-feira para sábado em um acampamento construído pelo governo.

Na quinta-feira à noite, o governo italiano decretou estado de emergência nas regiões mais atingidas e desbloqueou um pacote de ajuda de € 50 milhões. As autoridades do país também anunciaram um plano de prevenção anti-terremotos. Em 2009, um outro tremor já havia deixado mais de 300 mortos em Áquila, a cerca de 50 quilômetros.