rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

Alemanha Greve Lufthansa Tráfego aéreo

Publicado em • Modificado em

Lufthansa já tem prejuízo de € 20 milhões em 2° dia de greve

media
A greve de pilotos da companhia aérea alemã Lufthansa iniciada na quarta-feira (23) continua até sexta-feira (25), com o candelamento de centenas de voos.. REUTERS/Ralph Orlowski

Os voos da Lufthansa seguem perturbados, nesta quinta-feira (24), segundo dia da greve de pilotos da companhia alemã. Ao todo, 900 voos foram cancelados na Alemanha, incluindo os dois voos da Lufthansa programados para a noite de hoje com destino a São Paulo e Rio de Janeiro. A paralisação continua nesta sexta-feira (25) e empresa já anunciou o cancelamento de 830 voos. Os dois primeiros dias da greve já provocaram prejuízos de cerca de € 20 milhões à companhia aérea.


A paralisação atinge principalmente voos domésticos, mas algumas rotas internacionais também são afetados. Pelo segundo dia consecutivo, o voo LH 506, que deveria decolar de Frankfurt às 21h55 para São Paulo, foi cancelado. O voo das 22h15, códigos LH 500 e LX 4044, que partiria de Frankfurt com destino ao Rio de Janeiro, também não decola.

Ao todo, incluindo os cancelamentos já anunciados para amanhã, 2.618 voos foram cancelados e 315 mil passageiros afetados pelo movimento.

Pilotos reivindicam aumento de salário

A greve foi convocada pelo sindicato de pilotos Cockpit, em protesto pela ausência de aumentos salariais há mais de cinco anos. A categoria reivindica 3,7% de reajuste retroativo. A direção, que tenta reduzir custos para manter a competitividade diante das companhias low cost, oferece 2,5%.

Inicialmente, a paralisação estava prevista para durar apenas um dia, mas foi prolongada depois que um tribunal de Frankfurt rejeitou um recurso apresentado pela Lufthansa para impedir o movimento. Uma possível mediação foi rejeitada pelo sindicato, que exige uma melhor proposta de aumento antes de uma nova rodada de negociações.

A direção considera essa 14ª greve desde o início do movimento dos pilotos em 2014 incompreensível e calcula que ela vai custar entre €7 milhões e €9 milhões de euros por dia. A empresa, que opera quase 3 mil voos diários, diz que além dos prejuízos provocados pelos cancelamentos, o movimento também provoca uma queda no número de reservas a médio prazo.