rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês
Brasil-Mundo
rss itunes

Jovem brasileiro cria ponte cultural com a Sérvia

Thiago Ferreira tem feito um trabalho diferenciado ligando a cultura dos Balcãs com a do Brasil e virou um hit no país e em Belgrado.

 

Richard Furst, correspondente da RFI em Belgrado, na Sérvia

Os sérvios têm se tornado mais e mais famosos pelas festas e eventos culturais do país, que fica na região montanhosa dos Bálcãs.

Mas a Servia também é conhecida por tentar se recuperar de guerras e conflitos do século passado no leste Europeu. Até hoje, trens e ônibus em mal estado circulam pelas ruas do país com 7 milhões de habitantes. Lembranças de que o passado ainda é muito recente na vida das pessoas. E esses problemas escondem um lugar cheio de mistérios que precisam de ajuda para alcançar o público. 

Este é o trabalho do brasileiro Thiago Ferreira, de 25 anos, um incansável participante da cena cultural da Sérvia. O jovem gestor de Turismo é multi-dinâmico: participa de grupos tradicionais de música e dança, está ativamente ligado à cena política e, devido ao destaque que tem ganhado, é sempre convidado a participar de eventos artísticos. Já foi parar na até na televisao local e nas rádios.

 "Eu vim para na Sérvia de uma forma inusitada depois de conhecer pela internet uma garota (a estudante sérvia Jelena Reljic). Depois me apaixonei pelas pessoas. É um país surpreendente, diferente dos outros países europeus mais conhecidos", diz. "Desde que eu me mudei, cinco anos atrás, eu tenho me engajado, organizo eventos, viagens e uma das coisas mais legais foi receber o lendário jogador Cafu, num evento da Uefa. Me sinto honrado, por hoje em dia ser o brasileiro que é a figura principal da divulgação da Sérvia no Brasil"

Pessoas como Thiago Ferreira, são responsáveis pelo destaque turístico que a Sérvia vem ganhando. A diversidade e valorização das artes levaram uma cidade sérvia ainda desconhecida do grande público, a se tornar a capital europeia da cultura em 2021. Novi Sad, ao norte de Belgrado, é a segunda maior cidade da Sérvia, onde se falam oficialmente 6 idiomas.

Bela arquitetura

"A cidade é muito interessante, com uma arquitetura belíssima, por ser multicultural, respeita diversidade é muito rica neste sentido. Quem vem nao pode deixar de conhecer a  Fortaleza Petrovaradin, à beira do Rio Danúbio. Uma cidade que tem tradição na produção do vinho e onde os turistas podem experimentar aromas que só são encontrados nesta região".

Prédios por todo o país guardam marcas das bombas do período da antiga Iugoslávia que era um só país formado por seis repúblicas, hoje independentes: Bósnia e Herzegovina, Croácia, Eslovênia, Montenegro, Macedônia e a Sérvia.

Os problemas urbanos que a Sérvia enfrenta podem até ser um diferencial na experiência para o visitante, mas pra quem é daqui tudo parece estar longe da modernização. Apesar das atrações turísticas, as opções são muito reduzidas para fazer com que jovens estrangeiros escolham viver na Sérvia. O povo é acolhedor e se parece muito ao jeito brasileiro de receber, conversar alto pelas ruas e celebrar. Thiago soube driblar os problemas.

"Venha com a mente aberta para se surpreender, é um país fora do roteiro tradicional. Quem vem tem que conhecer Belgrado, ruínas, montanhas, natureza belíssima. A Sérvia é um país que eu recomendo que todos adicionem na lista de viagens porque vai se impressionar", declara.

Um país distante do Brasil, seja no mapa, nas temperaturas abaixo de zero ou até mesmo nas diferenças culturais. Com o passar do tempo, Thiago começou a escrever e gravar vídeos na internet em português sobre a Sérvia e é o idealizador do projeto "Bem-vindo à Sérvia". 

 

Instituto Camões aposta em parceria com Brasil para promoção da língua portuguesa

Brasileira que trabalhou com família real britânica conta bastidores e gafes com a rainha

Único terreiro de candomblé na Alemanha só pode fazer seis rituais por ano

Artista brasileiro expõe na Itália obras de seu ateliê com portadores de deficiência

Brasileiro assume direção científica do maior jardim botânico do mundo, em Londres

Bailarina brasileira cria plataforma de empoderamento feminino em Nova York

Livro e exposição em Berlim contam história de judeu que se refugiou no Brasil fugindo do nazismo

Brasileiro cria projeto de moradia alternativo e divide casa com imigrantes africanos em Roma

Primeiro diretor negro de teatro público em Berlim, brasileiro propõe perspectiva de “pós-migração”

Brasileira propõe serviço de fotografia profissional para turistas do mundo todo

Associação de mulheres brasileiras luta contra ação de despejo da prefeita de Roma

Leila Daianis fala sobre seu trabalho de defesa das transexuais brasileiras em Roma