rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

Papa Francisco Milão Itália detentos

Publicado em • Modificado em

Papa visita pobres e detentos na capital econômica da Itália

media
O papa Francisco acena do "papamóvel" para milaneses na praça do Duomo, no centro de Milão, em 25 de março de 2017. REUTERS/Stefano Rellandini

O papa Francisco desembarcou neste sábado (25) em Milão para uma visita de oito horas à capital econômica da Itália, durante a qual se reuniu com moradores de um bairro carente e almoçou com detentos. 


Francisco chegou à cidade às 8h locais (4h da manhã deste sábado, em Brasília) e foi recebido no aeroporto Linate pelo cardeal Angelo Scola, arcebispo da cidade, além do presidente da região da Lombardía, Roberto Maroni, e do prefeito de Milão, Giuseppe Sala.

O papa foi recepcionado ao som dos sinos das quase mil igrejas de Milão, uma homenagem à primeira visita do pontífice sul-americano à cidade. Como é frequente em suas viagens pastorais, Francisco dedicará boa parte do dia a visitar áreas carentes e a conversar com pessoas mais humildes. O pontífice declarou desejar conhecer pessoalmente a outra face de Milão, símbolo da moda e do luxo.

Bairros populares e cardápio preparado por detentos

Francisco seguiu para o bairro popular de Case Bianche (Casas Brancas), na periferia, onde foi recebido por cerca de 8 mil habitantes. "É algo simbólico. O papa visitou o coração de Milão, mas passou primeiro pela periferia", afirmou o padre Augusto Bonora.

No bairro, onde vivem famílias ciganas, muçulmanas e de imigrantes de várias nacionalidades, o pontífice foi aplaudido. Francisco se reuniu com três famílias: um casal de idosos, uma família que cuida de uma pessoa com uma doença rara, e uma terceira formada por muçulmanos, com várias crianças. Depois de conversar com as famílias, o papa rezou diante de um pequeno santuário dedicado à Virgem de Lourdes, ao lado dos cerca de 8 mil moradores.

Em seguida, Francisco visitou o Duomo, a catedral gótica no centro histórico da cidade, onde rezou o Angelus. Também visitou a prisão de San Vittore, onde almoçou com mais de 100 detentos. O menu (risoto, carne empanada e pannacotta) foi preparado pelos presos.

De acordo com o site católico Il Sismografo, o papa pretende descansar por 30 minutos no quarto do capelão da prisão. Um gesto inédito e que reflete seu estilo sóbrio, simples e informal. Ainda segundo o programa da visita, ele seguirá de automóvel para um dos maiores parques da cidade, o Monza, onde celebrará uma missa diante de quase 700 mil fiéis.