rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês
  • Autor do atentado de Manchester integrava célula terrorista, diz polícia

Suécia Atentado Terrorista Ataques Grupo Estado Islâmico

Publicado em • Modificado em

Suécia homenageia vítimas de atentado terrorista em Estocolmo

media
Minuto de silêncio em homenagem às vítimas de atentado terrorista na Suécia (Foto: Reuters)

A Suécia fez um minuto silêncio nesta segunda-feira (10) em homenagem às vítimas do atentado terrorista com um caminhão que deixou quatro mortos em Estocolmo na última sexta-feira (8), em uma das ruas mais movimentadas da cidade. O ataque foi perpetrado por um uzbeque de 39 anos, que atropelou várias pessoas no centro da cidade, detido poucas horas depois.


Uma cerimônia solene aconteceu hoje por volta do meio-dia em frente à prefeitura de Estocolmo, na presença da família real, de membros do governo e do Parlamento. Debaixo de chuva, o rei Carl XVI Gustaf, a rainha Silvia, a princesa Victoria e o príncipe Carl Philip, além do primeiro-ministro Stefan Löfven, acompanharam a homenagem.

Na Prefeitura, as bandeiras foram hasteadas a meio-mastro e a fanfarra das forças armadas, convocada para a ocasião, marcou o fim do minuto de silêncio. “Não cederemos jamais à violência e não deixaremos o terrorismo vencer”, disse a prefeita de Estocolmo, Karin Wannargd. “Estocolmo continuará sendo uma cidade aberta e tolerante”.

Neste domingo, milhares de pessoas se reuniram na capital em uma "manifestação pelo amor" e contra o terrorismo. Segundo a prefeitura local, mais de 20.000 pessoas participaram da manifestação convocada pelo Facebook.

O ataque, classificado de "ato terrorista" pela Justiça sueca, deixou quatro mortos e 15 feridos. A ação lembra os atentados cometidos em Nice (sudeste da França), Berlim e Londres, todos reivindicados pelo grupo Estado Islâmico.

Menina de 11 anos está entre as vítimas

Segundo a polícia, as vítimas fatais eram dois suecos, um cidadão britânico, e uma mulher belga, segundo o chefe da diplomacia belga, Didier Reynders. Uma menina sueca de 11 anos está entre os mortos. Dos 15 feridos, 10 pessoas - nove adultos e uma criança – continuam hospitalizados, quatro em estado grave.

O suspeito, um uzbeque de 39 anos detido horas depois do ataque, deveria ter sido expulso da Suécia depois que as autoridades negaram, em 2016, seu pedido de visto de residência, feito em 2014. As autoridades suspeitam que ele roubou o caminhão usado para atropelar dezenas de pessoas no centro da capital, antes de chocar seu veículo contra a fachada de uma grande loja de departamentos.

Neste domingo, um segundo suspeito foi detido e colocado em prisão preventiva. O primeiro-ministro sueco, Stefan Löfven, pediu um reforço dos controles da fronteira.