rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

União Europeia OTAN Montenegro

Publicado em • Modificado em

Montenegro vai se tornar o 29º Estado-membro da OTAN

media
Com Montenegro, a OTAN terá o controle de toda a costa do Mar Adriático Greegreatpicture.com

O pequeno país dos Balcãs apresenta oficialmente no dia 5 de junho, em Washington, os documentos de sua adesão à Aliança Atlântica. Mesmo fraco militarmente, Montenegro reforça a proteção europeia por sua situação geográfica.


O primeiro-ministro montenegrino, Dusko Markovic, participou nesta quinta-feira (25) como observador da cúpula da OTAN em Bruxelas, a primeira que teve a presença do presidente americano Donald Trump. "Vou estar presente quando os documentos de adesão à Organização do Tratado do Atlântico Norte forem entregues em Washington".

É na capital americana que se encontra o tratado de fundação da organização de cooperação militar fundada em 1949, comunicou hoje o secretário-geral da OTAN, Jens Stoltenberg.

Após a ratificação oficial da adesão de Montenegro pela Holanda, o único dos 28 países membros da OTAN que ainda não o fez, prevista para 1º de junho, Stoltenberg poderá, por escrito, convidar Montenegro a assinar o Tratado do Atlântico Norte.

Montenegro leva OTAN a controlar costa do Adriático

Em 2015, o anúncio da adesão deste país de 600.000 habitantes, de maioria eslava e ortodoxa, provocou violentas manifestações organizadas pela oposição pró-russa.

Assim como as negociações com a União Europeia, esta união ao Ocidente foi imposta pelo ex-primeiro-ministro Milo Djukanovic, líder de Montenegro de 1991 a 2016, quando cedeu o poder para Dusko Markovic.

Com Montenegro, a Aliança passará a controlar toda a costa do Adriático, uma vez que a Albânia, Croácia, Eslovênia e Itália, já fazem parte da organização.

Este é um fator relevante para a segurança no Mediterrâneo e no sul da Europa e explica o grande interesse na adesão, já que, no plano militar, o pequeno país tem um contingente de somente 2.000 elementos.

(Informações AFP)