rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês
  • Brasil/Itália : Bolsonaro afirma que vai extraditar italiano Cesare Battisti se for eleito

Londres Embaixada Estados Unidos Theresa May Eleição

Publicado em • Modificado em

Polícia faz explosão controlada perto da futura embaixada dos EUA em Londres

media
Policais fizeram explosão controlada em Londres Reuters

A polícia britânica anunciou ter realizado nesta quarta-feira (7) uma explosão controlada perto da nova sede da embaixada americana em Londres, ainda desocupada, após receber informações de que havia dois veículos suspeitos abandonados na área.


A zona foi isolada e policiais especializados foram mobilizados. As autoridades informaram rapidamente pelo Twitter que o incidente não tinha qualquer vínculo com terrorismo.

Um carro cinza e uma van vermelha, estacionados perto da futura representação americana, na margem sul do Tâmisa, estavam com os vidros da porta do motorista estilhaçados, segundo um fotógrafo da agência France Presse, que estava no local.

A intervenção ocorreu em um clima de extremo nervosismo, quatro dias após um atentado no centro da capital britânica que deixou 8 mortos e 48 feridos e na véspera das eleições britânicas.

Alvo de críticas

Por conta dos ataques recentes, a premiê Theresa May, que foi ministra do Interior antes de assumir o cargo, é alvo de várias críticas envolvendo cortes orçamentários e negligência das forças de segurança. Na terça-feira (6), a premiê prometeu que fortalecerá a luta antiterrorista.

Entre suas propostas está o endurecimento das penas de prisão, a restrição da circulação de suspeitos e até mesmo a expulsão do território se eles forem estrangeiros. “Se as leis dos direitos humanos nos impedem, mudaremos estas leis", afirmou.

May anunciou em 18 de abril a antecipação das eleições, previstas apenas para 2020, com uma vantagem de 20% nas pesquisas em relação ao trabalhista Jeremy Corbyn, que reduziu a desvantagem nas pesquisas para apenas 1%, de acordo com o instituto Survation.

O líder trabalhista prometeu acabar com a austeridade orçamentária, contratar mais policiais e fortalecer os serviços públicos. Neste último dia de campanha, Corbyn deve insistir na mensagem social e recordar que "restam 24 horas para salvar a saúde pública".