rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

Barcelona Religião Ataques Terrorismo Terrorista Islã

Publicado em • Modificado em

Principal suspeito do atentado de Barcelona atacava “infiéis” na Internet

media
Moussa Oukabir, 18 anos, possui dupla nacionalidade marroquina-espanhola e é suspeito de dirigir a van responsável pelo atropelamento na Rambla, em Barcelona, em 17 de agosto de 2017. Reprodução Facebook

O principal suspeito procurado pelo atentado em Barcelona, Moussa Oukabir Soprano, 18 anos, motorista da van que atropelou dezenas de pessoas na Rambla de Barcelona na quinta-feira (17), pode se encontrar entre os suspeitos mortos em Cambrils, anunciou a polícia nesta sexta-feira (18).


"A investigação vai nessa direção, e há um indício, embora não tenhamos provas concretas", indicou o porta-voz da polícia catalã, Josep Lluis Trapero, em coletiva de imprensa. Ainda segundo a fonte, os autores dos atentados de Barcelona e Cambrils preparavam um ataque de maior envergadura.

"Eles preparavam um grande atentado ou vários. A explosão de Alcanar permitiu evitar atentados de maior envergadura", declarou Trapero, aludindo à explosão que ocorreu na quarta-feira em uma casa dessa cidade 200 km ao sul de Barcelona, onde os ocupantes confeccionavam explosivos.

A polícia espanhola está no encalço de Moussa Oukabir Soprano, o motorista da van que atropelou dezenas de pessoas na Rambla de Barcelona. “Depois de realizar o massacre, o motorista conseguiu fugir pelas ruelas paralelas à grande avenida e prossegue foragido”, assinalou o presidente regional catalão Carles Puigdemont.

“Eu mataria os infiéis e só deixaria vivos os muçulmanos que sigam a religião”, afirmou Oukabir na rede social Kiwi. Reprodução Twitter

Ataque em família

Uma fonte policial indicou que o suspeito é irmão do marroquino Driss Oukabir, detido na quinta-feira em Ripoll, município localizado a 100 km ao norte de Barcelona, onde, nesta sexta, foi detido outro suspeito e foram revistados vários domicílios. Os dois irmãos, Moussa e Driss Oukabir, possuem dupla cidadania "marroquina-espanhola".

Em recente participação na rede social Kiwi, onde internautas respondem perguntas, um usuário perguntou a Moussa, de 18 anos recém-completos, o que faria se fosse o “rei do mundo”. “Eu mataria os infiéis e só deixaria vivos os muçulmanos que sigam a religião”, afirmou Oukabir.

O ministro do Interior do Governo catalão, Joaquim Forn, explicou em uma entrevista que "há uma relação pessoal entre os dois detidos e que pode haver outras pessoas em Ripoll relacionadas com este grupo". Na quinta-feira também foi preso um espanhol em Alcanar, 200 km ao sul de Barcelona, vinculado à explosão da casa onde a polícia suspeita que eram confeccionados explosivos.

A investigação também tenta identificar os cinco terroristas abatidos pela polícia em Cambrils, 120 km ao sul, quando os agressores tentaram cometer outro atentado que tirou a vida de uma mulher, que morreu nesta sexta-feira no hospital local.