rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês
RFI CONVIDA
rss itunes

“Brasil produz mais de 400 tipos de queijos”, revela a chef Roberta Sudbrack

A premiada chef brasileira Roberta Sudbrack foi a convidada de honra do Fòrum Gastronòmic, um dos principais encontros de chefs europeus, realizado este ano na cidade de Girona, na Espanha.

 

Luísa Belchior, correspondente da RFI Brasil na Espanha

Depois de uma grande polêmica envolvendo a venda de queijos artesanais no Rock in Rio, no Brasil, a chef brasileira Roberta Sudbrack começou uma grande luta pela legalização desses produtos no país. Uma briga que, na semana passada, a premiada cozinheira trouxe à Europa.

Durante o Rock in Rio, em setembro, a vigilância sanitária carioca apreendeu os queijos de Roberta, alegando que eles não tinham os selos necessários para serem comercializados. Sudbrack nega, e alega que a legislação brasileira prejudica os pequenos produtores que, segundo ela, são a essência da gastronomia brasileira.

"Comida no lixo, a morte do cozinheiro"

A chef levou o caso ao Fòrum Gastronòmic, um dos mais importantes encontros de chefs e cozinheiros da Europa, que aconteceu na cidade de Girona, na Catalunha.

“Vivemos esse episódio lamentável (do Rock in Rio). E isso revela que é uma lei que precisa ser mudada, porque ela é de 1950, e a estrutura para a circulação de alimentos naquela época era muito mais precária. Hoje em dia a realidade é outra. E também tem o lado humanitário. Jogar uma tonelada de comida no lixo, comida boa e feita com cuidado e segurança alimentar, é a morte para um cozinheiro. Por isso, agora não dá mais para parar de lutar. Eu não vou parar enquanto não sentir que isso mudou”, explica Roberta.

Centenas de queijos brasileiros

No Fòrum Gastronòmic, Roberta descobriu que a produção artesanal de queijos espanhóis e franceses seguem os mesmos parâmetros dos produtores do Brasil, onde já são produzidos cerca de 400 tipos de queijos diferentes - na França, o país dos queijos, são cerca de 1.000, segundo o governo francês.

“A grande mensagem que a gente quis passar aqui é que a voz da gastronomia brasileira é o pequeno produtor, o pequeno produto. A gente tem hoje 400 tipos de queijos em 15 microrregiões do Brasil, o que para mim também foi uma surpresa”, revela a chef.

Fechou restaurante sofisticado depois de 11 anos de sucesso

Uma das mais importantes chefs do Brasil, Sudbrack foi eleita no ano passado a melhor chef da América Latina pela premiação da revista britânica Restaurant, considerada uma espécie de Oscar da gastronomia. No início do ano, porém, ela decidiu fechar seu restaurante do Rio, que tinha uma estrela Michelin, em busca de uma forma mais acessível de levar sua cozinha ao público.

“Fechamos o restaurante quando ele estava bem. Mas, ao mesmo tempo, a forma do restaurante já não me agradava. Por outro lado, eu não tenho nenhum problema com o conteúdo, que são as minhas pesquisas com ingredientes como o quiabo e o chuchu. Agora, estamos finalizando um novo projeto, mas com muita tranquilidade. Eu gosto de dizer que voltei a ter felicidade na cozinha, e isso não tem preço. Vamos estar muito conectados com a questão da pesquisa”, conclui Roberta Sudbrack.

Sabores do Brasil recebe “30% de brasileiros saudosos e 70% de franceses curiosos” em Paris

Inimigo no fascismo brasileiro é o pobre, diz pesquisadora do voto em Bolsonaro

Cantor Renato Fagundes traz a Paris tradição e modernidade da cultura gaúcha

Da extrema-direita à esquerda: populismo tem faces distintas na Europa e na América Latina, diz especialista

“Lula adiou troca e prejudicou campanha de Haddad”, diz analista David Fleischer

"Bolsa Família é grande aliado para quem deseja fazer ajuste fiscal no Brasil", afirma Marcelo Neri

Novo livro de Jean-Paul Delfino traz personagem imortal que viveu no Brasil

“Ataque corrobora ânimo de briga manifestado por Bolsonaro”, diz cientista político da UFMG

Em Perpignan, a fotógrafa brasileira Alice Martins expõe imagens da guerra na Síria

“Atlas do Agronegócio revela a complexa cadeia do setor agroindustrial”, diz coordenadora

"Assegurar preservação do patrimônio é responsabilidade da sociedade", diz presidente do Ibram sobre incêndio no Museu Nacional

“Quero nossa democracia de volta” pede cineasta brasileiro Fellipe Barbosa em Veneza

“Mulheres brasileiras sempre foram vistas como patrimônio do homem”, diz diretora-presidente da ONG Artemis

“Mulheres negras e indígenas representam o feminismo de resistência brasileiro”, afirmam pesquisadoras

Apesar da crise, brasileiros participam de Encontro Mundial das Famílias em Dublin

Instrumentalização política dos migrantes alimentou xenofobia em Roraima, diz professor da UFRR

"Tenho uma parte da história do Brasil nos meus arquivos", conta a fotógrafa Rosa Gauditano

Após turnê internacional, cantora Flávia Coelho volta ao estúdio em Paris para gravar 4° álbum