rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

Governo Alemanha Angela Merkel

Publicado em • Modificado em

Merkel deve anunciar governo com social-democratas nos próximos dias

media
A chanceler alemã, Angela Merkel, ao chegar para as negociações na sede do Partido Social Democrata (SPD), em Berlim, neste domingo (4). Tobias SCHWARZ / AFP

A chanceler alemã Angela Merkel deve anunciar nos próximos dias a formação de um governo e finalmente sair de um impasse que já dura quatro meses no país. A líder e representantes da sua coalizão, a conservadora CDU/CSU estão reunidos neste domingo (4) com os social-democratas do partido SPD na tentativa de acertar um compromisso final.


A chanceler alemã preferiu manter a discrição ao chegar na manhã deste domingo à reunião onde deve acertar os últimos detalhes de um futuro governo com os social-democratas. "Estamos aqui para uma rodada decisiva das negociações, mas ainda não é possível dizer quanto tempo isso vai durar", afirmou. Segundo ela, há ainda questões importantes a serem debatidas.

Os representantes do partido de Merkel - a União Cristã Democrata (CDU) - e a aliada União Cristã Social (CSU) conseguiram, nos últimos dias, negociar sobre assuntos delicados com o Partido Social Democrata (SPD). Acordos sobre imigração, regime de previdência, clima, energia e agricultura já teriam sido alcançados. Mas os dois blocos ainda divergem sobre questões como direitos trabalhistas e saúde. 

O chefe do SPD, Martin Schulz, prevê longos debates antes do anúncio de um governo. "Será preciso negociar intensamente sobre esses assuntos hoje. Acho que será possível alcançar um acordo, mas ainda não chegamos lá", afirmou neste domingo. 

Impasse pós-eleitoral enfraquece Alemanha

Após as eleições legislativas de setembro, que a coalizão CDU/CSU de Merkel venceu, mas não obteve maioria, a chanceler tentou se aliar a outros partidos, sem sucesso. Desde janeiro, o bloco está em negociação com o SPD, com quem pode renovar por mais quatro anos a grande coalizão - GroKo - que governou a Alemanha nos últimos anos. 
   
Se Merkel fracassar, ela poder iniciar seu quarto mandato de chanceler com um instável governo minoritário. Outra possibilidade é aceitar a realização de novas eleições, correndo o risco de perder ainda mais espaço para a extrema-direita, em ascensão nos últimos anos no país. 

Cerca de 71% dos alemães dizem não compreender por que a formação do governo está levando tanto tempo, segundo uma pesquisa da televisão pública ARD. Pas especialistas, o interminável imbróglio pós-eleitoral enfraquece a Alemanha e diminui a confiança da população em seus representantes.