rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

Extrema-Direita Alemanha Terrorismo Justiça

Publicado em • Modificado em

Militantes de extrema-direita são condenados por terrorismo na Alemanha

media
Sala de audiências em Dresden, Alemanha, 7 de março de 2017, no início do julgamento contra o grupo de extrema-direita Freital. REUTERS/Sebastian Kahnert

Oito membros de um grupo alemão de extrema-direita foram condenados nesta quarta-feira (7), a penas de quatro a dez anos de prisão por ataques contra refugiados considerados terroristas. Os crimes aconteceram em 2015, em meio a uma crise migratória, quando cerca de 900 mil refugiados chegaram à Alemanha.


Pascal Thibaut, correspondente da RFI na Alemanha

Os condenados explodiram a caixa de correio de um cidadão que apoia os refugiados e depois o carro de um político ligado a um partido de esquerda. Depois, atacaram um centro que abriga militantes antifascistas e dois apartamentos onde migrantes estavam alojados. Um deles foi ferido durante esses ataques. Os membros do grupo de extrema-direita Freital, que recebeu o nome de uma pequena cidade na Saxônia, sete homens e uma mulher, foram condenados a penas que variam de quatro a dez anos de prisão.

O Ministério Público da Alemanha considerou que a natureza dos atos cometidos qualifica o grupo como "terrorista". Sua deriva violenta foi descrita como uma "radicalização a jato" por um juiz do caso. O grupo realizou os ataques em 2015, quando a Alemanha recebeu um número recorde de refugiados. Ao contrário das argumentações da defesa, a acusação descobriu que os réus estavam bem cientes de que suas ações poderiam levar à morte de seres humanos.

Os ataques do Freital coincidem com um aumento significativo dos ataques xenófobos contra domicílios de refugiados na Alemanha. Cerca de 2.200 casos foram registrados em 2017. Uma cifra baixa, no entanto, em comparação com os 3.500 incidentes registrados em 2016.

A região da Saxônia, na antiga República Democrática Alemã (RDA), se tornou conhecida desde a década de 1990 por seus violentos grupos de extrema-direita. Os ataques xenófobos são significativamente mais numerosos do que em outras regiões do país.