rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês
Brasil-Mundo
rss itunes

Atriz brasileira é uma das estrelas de filme português inspirado em Tarantino

A atriz brasileira Adriane Garcia é uma das estrelas do filme “Linhas de Sangue”, que entra em cartaz nos cinemas de Portugal em julho. 

 

Luciana Quaresma, de Lisboa para a Rádio França Internacional

O longa-metragem dos diretores portugueses Manuel Pureza e Sérgio Graciano já está sendo rodado e é o primeiro de uma trilogia. Segundo a atriz, “Linhas de Sangue” é um filme de ação, muito humor, com heróis, vilões e carregado de mistério.

“É uma comédia de ação com um toque à la Tarantino”, revela Adriane. Segundo a atriz brasileira, que está fazendo a sua segunda atuação no cinema, a longa espera pelo filme foi recompensada. "Além de ter este elenco de luxo, é um filme muito louco. As pessoas vão ter que ver o filme mais de uma vez. Muita coisa parece ser o que não é, o filme é muito misterioso e nem tudo é o que parece", explica a atriz.

“Depois de oito anos o filme vai estrear. Estamos todos felizes e acho que isso é o que mais motiva : ter juntado tanta gente boa, tantos atores bons", diz a brasileira. "Pra mim é um privilégio com excelentes atores como o José Raposo, Custódia Galego, Catarina Furtado, José Fidalgo...meu núcleo é maravilhoso. Nem considero isso trabalho. É puro prazer!", comenta Adriane.

A ideia do filme surgiu durante as gravações de uma série para televisão. “Gravei uma série chamada “Maternidade” com os diretores Manuel Pureza e o Sérgio Graciano. O filme, na verdade, é uma ideia do Manuel com o Sérgio que surgiu numa brincadeira. O elenco da série se deu muito bem. O curta nasceu ali, e foi gravado em um dia. Foi mais uma brincadeira do que outra coisa, mas deu vontade de transformar em filme”, explica.

Bernardo Lobo diz que seu processo de criação artística mudou para melhor em Lisboa

Nostalgia soviética é objeto de estudo de historiador brasileiro em Moscou

Na Itália, jovens de Ribeirão Preto usam a hipnose como arte e experimento social

“É melhor ser negro na Rússia do que no Brasil”, diz músico que trocou São Paulo por Kazan

Cultura brasileira é mais valorizada na Europa do que no Brasil, diz fotógrafa italiana que viveu dez anos ao lado de mãe de santo

Brasileira ajuda a criar novo sistema de navegação por satélite mais preciso

Belo Horizonte é destaque em conferência sobre desenvolvimento sustentável na Suécia

Engenheiro brasileiro desenvolve "personalidade" de robôs de companhia na Califórnia