rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês
  • Megan, esposa do príncipe Harry, anuncia gravidez

Estados Unidos Irã Europa Nuclear

Publicado em • Modificado em

EUA querem negociar com europeus novo acordo com Irã, apesar das divergências

media
O secretário de Estado norte-americano Mike Pompeo espera que Washington possa trabalhar com europeus em busca de novo acordo com o Irã © Reuters

Os Estados Unidos querem trabalhar com seus parceiros europeus em um novo acordo nuclear iraniano. A declaração foi feita neste domingo (13) pelo secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo. O chefe da diplomacia disse que um consenso é necessário para enfrentar o que chamou de "conduta maligna" do Irã.


"Espero que, nos próximos dias, ou semanas, consigamos um acordo que realmente funcione, que realmente proteja o mundo da má conduta iraniana. Não apenas de seu programa nuclear, mas também de seus mísseis e de sua conduta maligna", disse Pompeo durante programa da Fox News. "Trabalharemos estreitamente com os europeus para tentar conseguir isso", acrescentou. A declaração é feita após os Estados Unidos terem se retirado do acordo firmado com Teerã.

Em entrevista à ABC, também neste domingo, o conselheiro de Segurança Nacional do presidente Donald Trump, John Bolton, criticou "os avanços que o Irã realizou com ajuda do acordo, avanços militares convencionais e terroristas no Iraque, Líbano e Iêmen. O Irã realmente avançou desde 2015".

Já o ministro iraniano das Relações Exteriores, Mohamad Javad Zarif, iniciou em Pequim, neste domingo, uma viagem que também o levará a Moscou e a Bruxelas com o objetivo de salvar o acordo abandonado por Washington e de proteger os interesses econômicos de seu país.

Depois da decisão do presidente Donald Trump de tirar os Estados Unidos do acordo e restabelecer as sanções, "a razão crucial desta viagem é estabelecer o diálogo com as nações que seguem no acordo", disse Zarif, ao lado de seu homólogo chinês, Wang Yi.