rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês
Linha Direta
rss itunes

Governo de Rajoy é derrubado por moção de censura no Parlamento da Espanha

A Espanha vive um dia histórico. O governo do conservador Mariano Rajoy foi derrubado nesta sexta-feira (1°) por uma moção de censura no Congresso. Mesmo tendo maioria no Parlamento, Rajoy não conseguiu manter apoio após escândalos de corrupção envolvendo membros de seu partido. Na semana passada, a Justiça espanhola condenou sua sigla, o Partido Popular, por corrupção ativa, com multa de € 250 milhões.
 

Luisa Belchior, correspondente da RFI em Madri

Quem assume agora o governo da Espanha é o líder da oposição, o socialista Pedro Sánchez. Isso porque foi ele quem apresentou na Câmara dos Deputados a moção de censura na semana passada

Os deputados discutem se Sánchez convoca diretamente eleições ou se segue no poder e completa a legislatura atual, que vai até o fim de 2019. Na Espanha, diz-se que o mais provável é que ele opte por seguir governando. Neste caso, ainda no sábado (2) Sánchez pode ser empossado pelo rei Feipe VI. 

A decisão da Câmara surpreendeu, porque até semana passada Rajoy tinha apoio da maioria. O que aconteceu é que por um lado, Pedro Sánchez foi costurando apoios desde a semana passada, quando apresentou a moção. Aos poucos, os partidos que apoiam Rajoy foram ficando isolados, e também constrangidos por sustentar um goveno de um partido que foi formalmente acusado de corrupção pela Justiça. A maioria sabe que isso teria um custo político e eleitoral forte, já que há uma grande rejeição neste momento ao governo derrubado. 

Líder mais impopular da Espanha

As pessoas, em geral, apoiam essa moção. Até mesmo quem defendia o governo, diz agora estar decepcionado. Rajoy deixa o comando da Espanha com a pior aprovação a um chefe de governo em toda a história democrática da Espanha. Sobretudo por conta do desgaste polítco com os casos de corrupção. 

O principal deles foi o chamado caso Gurtel, conhecido como a Lava-Jato espanhola, que desde 2009 investigava um esquema de caixa dois dentro do Partido Popular. Na semana passada, a Audiência Nacional, a mais alta corte da Justiça espanhola, encerrou a primeira fase do caso, condenando portanto o PP, embora não diretamente a Mariano Rajoy. 

O ex-chefe de governo da Espanha falou na Câmara na manhã desta sexta-feira. Ele disse que deixa o governo com a certeza de ter deixado o país melhor que quando a encontrou quando assumiu o poder. 

Rajoy governava o país desde 2011. Na época, o Partido Popular ganhou as eleições e tirou o poder das mãos do Partido Socialista, que governava com José Luis Rodríguez Zapatero. 
 

Em momento conturbado na Arábia Saudita, Brasil enfrenta Argentina em amistoso

Merkel perde maioria na Baviera e extrema direta entra no parlamento regional

Trump pressionado para agir contra a Arábia Saudita em caso de jornalista desaparecido

Turquia divulga imagens de agentes sauditas suspeitos da morte de jornalista

Favorito, Bolsonaro foca no Nordeste de Lula e Haddad aposta no 2° turno

Justiça americana vive momento decisivo na disputa entre conservadores e liberais

Tentando reaproximação com Merkel, Erdogan é recebido com protestos em Berlim

Protestos contra padre acusado de abuso sexual marcam visita do Papa aos países bálticos

Destituição do chefe da agência de inteligência alemã abala governo Merkel