rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

Espanha Rei da Espanha Corrupção Condenação

Publicado em • Modificado em

Cunhado do rei da Espanha é condenado por corrupção

media
O cunhado do rei Filipe VI, Iñaki Urdangarín, foi condenado a cinco anos e dez meses de cadeia pelo Supremo Tribunal espanhol. REUTERS/Enrique Calvo/File Photo

O cunhado do rei Filipe VI, da Espanha, Iñaki Urdangarin, marido da infanta Cristina de Borbón, foi condenado a uma pena de cinco anos e dez meses de prisão pelo Supremo Tribunal do país, nesta terça-feira (12). Urdangarin provavelmente será preso nos próximos dias, embora ainda exista a possibilidade de uma tentativa de recurso no Tribunal Constitucional.


No ano passado, a Justiça espanhola já havia condenado Urdangarin a mais de seis anos de prisão em primeira instância por corrupção. Ex-campeão olímpico de handebol, ele foi acusado de ter desviado mais de € 6 milhões dos cofres públicos, entre 2004 e 2006.

De acordo com o inquérito, o marido da infanta, sócio do instituto Noos, uma fundação sem fins lucrativos, utilizava sua posição para obter licitações nas regiões de Maiorca e Valença. Ele também foi acusado de evasão fiscal e tráfico de influência.

Em 2017, a infanta Cristina, também citada no processo, foi absolvida em primeira instância dos crimes fiscais, mas foi condenada a pagar € 265.088 pelos crimes do marido sem conhecer a origem do dinheiro. Este valor, depois da decisão do Supremo desta terça-feira, caiu para € 136.950.

Abdicação

A investigação teve início em 2010, numa época em que a Espanha estava mergulhada em uma grave crise econômica. O escândalo contribuiu para a abdicação do rei Juan Carlos a favor do filho Filipe, em junho de 2014.

Desde então, o novo rei afastou a irmã e seu marido das cerimônias oficiais e retirou o título de duque do ex-atleta. O casal se mudou para a Suíça com os quatro filhos, longe dos holofotes, onde Cristina trabalha em uma fundação de caridade.