rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês
  • França: Polícia afirma ter abatido Chérif Chekatt, suspeito do atentado de Estrasburgo
  • França : Governo decide reabrir feira de Natal de Estrasburgo após ataque terrorista

França Itália Migrantes Emmanuel Macron Crise migratória

Publicado em • Modificado em

Itália convoca embaixador da França após Macron criticar cinismo de Roma sobre imigrantes

media
Refugiados a bordo do Aquarius que está a caminho da Espanha, depois de ter sido impedido de aportar na Itália e em Malta. REUTERS/Guglielmo Mangiapane

O embaixador da França em Roma foi convocado nesta quarta-feira (13) ao Ministério das Relações Exteriores italiano. A medida acontece após críticas do presidente Emmanuel Macron ao novo governo da Itália de Giuseppe Conte, que se recusou a acolher os 630 imigrantes do navio Aquarius.


As declarações do presidente francês criam forte tensão diplomática com a Itália. Após a recusa de Roma em autorizar que o Aquarius aportasse no país, Emmanuel Macron falou na terça-feira (12) em cinismo e irresponsabilidade por parte do governo italiano.

O Conselho italiano considerou "surpreendentes" as críticas de Macron. O novo ministro do Interior de extrema-direita, Matteo Salvini, rebateu o presidente francês afirmando que a Itália não vai aceitar “lições hipócritas de países que sempre fogem de suas responsabilidades” em termos de imigração. Nesta manhã, Salvini pediu mais “generosidade” à França, sugerindo que o país acolha mais imigrantes.

A convocação de um embaixador é um fato raro entre membros da União Europeia. O embaixador francês, Christian Masset, será recebido na manhã desta quarta-feira na Farnesina, sede do ministério das Relações Exteriores em Roma, segundo uma fonte diplomática.

Aquarius rumo à Espanha

Emmanuel Macron recebe na sexta-feira (15) no Palácio do Eliseu, em Paris, o novo primeiro-ministro italiano, Giuseppe Conte, para discutir a polêmica crise migratória na Europa.

Além da tensão com a Itália, a reação da França em relação à situação dos imigrantes do Aquarius provoca divisão no partido a República em Marcha (LRM), do presidente francês. Vários deputados da maioria no poder criticaram a demora do executivo em reagir, levando o primeiro-ministro Edouard Philippe a garantir que a “França vai ajudar as autoridades espanholas a acolher e analisar a situação dos migrantes”.

A Espanha foi o único país que aceitou receber o barco. O Aquarius, que estava bloqueado no mar Mediterrâneo desde o último domingo (10), está a caminho do porto espanhol de Valença, onde os 629 imigrantes devem desembarcar no sábado.