rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

Atentado Alemanha Agressão

Publicado em • Modificado em

Homem armado com faca fere dezenas de pessoas em ônibus na Alemanha

media
Policiais após o atentado em Ansbach, na Alemanha, em 2016 REUTERS/Michaela Rehle

Dezenas de pessoas ficaram feridas nesta sexta-feira (20) num ônibus na cidade de Lübeck, na Alemanha, após serem atacadas por um homem armado com uma faca. O agressor, de cerca de 35 anos, foi capturado pela polícia sem causar mortes. Um dos agredidos tinha acabado de ceder seu lugar a uma pessoa mais velha quando levou uma facada no peito.


As autoridades não descartam a possibilidade de um crime terrorista, segundo o jornal alemão Lübecker Nachrichten. De acordo com as testemunhas, o atacante jogou sua mochila no chão, retirou uma faca e partiu para cima das vítimas. O motorista freou o ônibus, mas também foi atacado. Ele, em seguida, abriu as portas do veículo, permitindo a fuga dos passageiros. A polícia veio logo depois e deteve o suspeito.

De acordo com Lothar H., de 87 anos, “os passageiros saíram do ônibus aos pulos e gritando. Foi assustador. Em seguida, os feridos foram evacuados. O agressor utilizou uma faca doméstica para cozinhar.”

Polícia não descarta pista terrorista

Se o motivo do crime não foi estabelecido, ele acontece, no entanto, dentro de um contexto conflituoso na Alemanha, onde vários atentados ou tentativa de ataques terroristas foram registrados nos últimos anos, sobretudo com armas brancas.

Em junho de 2018, por exemplo, a polícia anunciou que impediu um ataque com uma “bomba biológica”, depois da prisão de um homem da Tunísia suspeito de estar ligado ao grupo terrorista Estado Islâmico (EI). O jovem de 29 anos chegou na Alemanha em 2015 e a polícia acredita que estava tentando adquirir uma espécie de veneno.

O episódio mais grave permanece sendo o da Feira de Natal de Berlim, em dezembro de 2016, reivindicado pelo EI e que provocou 12 mortes. Além desse, o EI reconheceu a autoria de um assassinato em 2016 em Hamburgo, no norte do país, um atentado com bomba em Ansbach, no sul, provocando 15 feridos e um ataque com machado num trem na Baviera, deixando cinco feridos.

Vários desses ataques foram feitos por refugiados que pediam asilo na Alemanha. Nenhum deles, entretanto, já chegou na Europa com ordens do EI, como foi o caso dos terroristas de 13 de novembro em Paris. O país da chanceler Angela Merkel é alvo desse tipo de ação, sobretudo por causa de seu engajamento na coalizão de combate contra o EI no Iraque e na Síria.