rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

Racismo Televisão Bélgica

Publicado em • Modificado em

Garota do tempo belga publica desabafo nas redes sociais após sofrer racismo dos telespectadores

media
No vídeo, apresentadora disse que está cansada de receber insultos Cécile Djunga / Facebook (capture d'écran)

A garota do tempo da RTBF, canal da televisão pública da Bélgica, denunciou em um vídeo nas redes sociais o racismo que sofre por parte de alguns telespectadores. Seu depoimento se tornou viral e provocou uma discussão no país.  


Do correspondente da RFI em Bruxelas, Pierre Benazet

A apresentadora Cécile Djunga propôs a criação da hashtag “balancetoncon” (“Entregue seu idiota”, uma referência a “Entregue seu porco”, a versão francesa do movimento feminista norte-americano #metoo, contra agressões sexuais). Ela é responsável pela previsão do tempo na RTBF desde 2017 e conta que recebe diariamente uma chuva de comentários racistas. "Se não querem me ver na tela, desliguem a TV e vão ler um livro”, ela diz.

O que provocou seu desabafo foi o telefonema de uma telespectadora, que alegou “não conseguir ver nada na TV” porque Djunga era “escura demais”. “Isso me fez rir. Fiquei imaginando essa senhora em sua casa, que diz a si mesma ‘não consigo enxergar nada na televisão, ela é muito negra, ela não serve para a TV, vou ligar para preveni-la”, disse Djunga. “É um absurdo, fico entre o riso e a raiva. Faz um ano que estou nesse trabalho e estou cansada de receber insultos.”

Mensagens de apoio

Após a publicação do vídeo, a apresentadora reconheceu que “agiu precipitadamente”, mas o resultado foi positivo: ela recebeu diversas mensagens de apoio. Mesmo a chefia da televisão pública belga se manifestou e disse que vai processar os autores dos comentários racistas.

“Sou um ser humano e não aguento mais ouvir coisas como ‘Neguinha suja, volte para seu país’. Há pessoas que dizem que o racismo não existe, mas não é verdade e isso tem que parar. A partir de agora, vou denunciar essas pessoas que têm a mente tão fechada que acabam ferindo outras. Estou fazendo isso para ajudar aqueles que sofrem a mesma coisa, vamos lutar juntos”, declarou Cécila Djunga.