rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês
Linha Direta
rss itunes

Europeus podem decidir estender negociações do Brexit por um ano

Por RFI

Os líderes europeus se reúnem em cúpula decisiva sobre o Brexit, nos próximos dois dias em Bruxelas. Há cinco meses da data marcada para a saída do Reino Unido da União Europeia, o cenário de uma separação sem acordo ganha força. O principal negociador europeu, Michel Barnier, diz estar aberto a estender o período de transição do Brexit por mais um ano.

Letícia Fonseca-Sourander, correspondente em Bruxelas

As expectativas de um acordo sobre o Brexit não poderiam estar mais comprometidas. A falta de uma solução endossada pelo Reino Unido e pela União Europeia sobre a questão da fronteira da Irlanda está criando um grande impasse.

Nos próximos dois dias, os líderes do bloco terão talvez uma das últimas oportunidades para costurar o impossível, pois um cenário de um “no deal” – falta de acordo – é cada vez mais óbvio. Por esta razão, o Conselho Europeu, que começa nesta quarta-feira (17) em Bruxelas, é considerado decisivo. A primeira-ministra britânica, Theresa May, deve se reunir com os 27 chefes de Estado e governo da União Europeia antes do jantar de trabalho, do qual ela não vai participar.

Fronteira da Irlanda

Apesar de ambos os lados defenderem uma solução sem a existência de uma fronteira física entre a República da Irlanda e a Irlanda do Norte – parte do território britânico –, ainda não há consenso sobre como será a fronteira irlandesa após a saída do Reino Unido do bloco europeu.

No final do ano passado, britânicos e europeus concordaram sobre a necessidade em se chegar a um consenso sobre o chamado “backstop”. O “backstop” é um mecanismo de salvaguarda que assegura que mesmo se houver falta de acordo sobre o Brexit, a integração econômica das Irlandas não será prejudicada. Bruxelas quer manter a Irlanda do Norte em sua união aduaneira e no mercado único europeu. Mas com receio de ameaçar a integridade britânica, Londres rejeita a proposta.

May esteve reunida durante quase três horas com seu governo, antes de embarcar para a capital belga. Em Bruxelas, ela deverá insistir com os líderes europeus em manter a porta aberta às negociações. Às vésperas da cúpula, o presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, declarou que May deveria chegar com uma “solução criativa” para tentar quebrar o impasse.

Pessimismo

Segundo Tusk, “não há motivos para otimismo” diante do relatório apresentado pelo principal negociador do bloco para o Brexit, Michel Barnier, sobre o estado das negociações e o último discurso de May no Parlamento britânico. Barnier admitiu que serão necessárias mais algumas semanas para costurar um consenso e fechar um acordo para a saída do Reino Unido do bloco europeu, agendada para o dia 29 de março do próximo ano. Inclusive, Barnier diz estar aberto a estender o período de transição do Brexit por mais um ano.

Nesta quarta-feira, os líderes do bloco devem propor a realização de um Conselho Europeu adicional em novembro. O acordo político do Brexit deverá ser assinado, no máximo, em meados de novembro, a tempo de ser ratificado pelos parlamentos de todos os Estados membros e também pelo Parlamento Europeu.

Brasileiros da Cisjordânia estão indignados com possível transferência da embaixada do Brasil para Jerusalém

Senado italiano aprova projeto para reduzir proteção humanitária a imigrantes

Lisboa recebe Web Summit, conferência de inovação digital que reúne estrelas do setor

Moro deixa a posição de quase semideus e passa a ser ministro em cenário conturbado, diz cientista político

Para Turquia, morte de Khashoggi não poderia ter ocorrido sem ordem do alto escalão saudita

Republicanos e democratas rejeitam veto de Trump para cidadania por nascimento

Tensões geopolíticas com morte de jornalista geram incertezas à economia saudita e da região

Em meio à onda militarista de Bolsonaro, Chile e Uruguai punem insubordinações de militares

Reino Unido: movimento para novo referendo sobre Brexit cresce, mas premiê nega nova consulta

Extrema direita alemã cria plataforma para controlar debate político nas escolas

Jornalista saudita teria sido torturado por sete minutos, diz imprensa turca