rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

Alemanha Angela Merkel Política extrema direita

Publicado em • Modificado em

Alemanha: Merkel vai renunciar à presidência do seu partido em dezembro

media
A chanceler alemã Angela Merkel deixará a presidência do Partido Democrata Cristão (CDU) em dezembro. REUTERS/Hannibal Hanschke/File Photo

A chanceler alemã Angela Merkel confirmou nesta segunda-feira (29) que renunciará à presidência de seu partido de centro-direita em dezembro e que não será candidata ao final de seu quarto mandato em 2021.


"Hoje é hora de abrir um novo capítulo", declarou a chanceler depois de meses de crise governamental e um dia após um novo revés eleitoral. Além disso, Merkel não vai escolher seu sucessor à presidência do seu partido CDU.

O partido de centro-direita de Angela Merkel e seu parceiro social-democrata na coalizão de governo sofreram, neste domingo (28), uma importante queda na eleição regional em Hesse, segundo pesquisas de boca de urna.

Com entre 12% e 13%, a extrema direita entra no Parlamento regional, o último na Alemanha onde ainda não tinha representante. Este resultado, se confirmado, enfraqueceria um pouco mais a chanceler, desgastada após 13 anos de poder.

Eleições na Baviera também foram determinantes

Duas semanas depois das eleições na Baviera, com resultados catastróficos para os conservadores, a derrota do partido de Merkel Hesse, onde fica a cidade de Frankfurt, a capital financeira do país e sede do Banco Central Europeu (BCE), contribuiu para a decisão da chanceler de deixar o poder em 2021.

"Angela Merkel é chanceler há 13 anos, mas, politicamente, nunca sofreu tanta pressão", resumiu no sábado o jornal Süddeutsche Zeitung. Merkel lidera a CDU há mais 18 anos e, até o momento, nenhum membro da CDU declarou abertamente que deseja dirigir a legenda.