rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

Brexit Reino Unido União Europeia Protestos

Publicado em • Modificado em

Europeus fazem corrente humana em Londres e pedem manutenção de direitos após Brexit

media
Corrente humana no Parlamento britânico para pedir esclarecimentos sobre situação dos imigrantes com o Brexit REUTERS/Simon Dawson

Centenas de cidadãos europeus que moram no Reino Unido, assim como britânicos residentes em países da União Europeia, formaram uma corrente humana diante de Downing Street, em Londres, nesta segunda-feira (5). O protesto tem a intenção de saber se o governo britânico garantirá seus direitos, caso o Brexit aconteça sem um acordo definitivo com o bloco europeu.


Reunidos em Whitehall, perto do bairro dos ministérios de Londres, os manifestantes entregaram uma carta para a primeira-ministra Theresa May pedindo para que ela “respeite as promessas políticas que foram feitas, independentemente do resultado das discussões”.

“Não somos uma moeda de troca, somos cinco milhões de pessoas e precisamos ser tratados como tal”, diz o texto, assinado pela the3Million, associação que defende os interesses dos europeus no Reino Unido, pela coalizão British in Europe, que representa os britânicos do território europeu, e pelo sindicado britânico Unison. “Uma ausência de acordo não é aceitável”, disse Nicolas Hatton, cofundador do grupo the3Million. “Queremos ser tratados de forma igual”.

Futuro incerto

Faltando cinco meses para a saída do Reino Unido da União Europeia, prevista para 29 de março de 2019, o processo de separação ainda enfrenta as mesmas dificuldades do começo, como a questão da fronteira irlandesa, deixando os expatriados inquietos. “Não faço mais projetos para 2019 porque não sei onde estarei, é um suspense”, afirma Vanessa Verlinden, belga de 42 anos que mora na Inglaterra desde os 17 anos.

Karen Lawrence, engenheira britânica de 52 anos, saiu do centro da Inglaterra para participar da manifestação. “Por que essas pessoas devem ser tratadas como cidadãos de segunda classe? É profundamente injusto”, estimou a militante pró-europeia.

Após a ação, os manifestantes foram até o Palácio de Westminster para discutir com parlamentares britânicos. “Estamos aqui para dizer aos deputados que precisamos concluir um acordo”, ressaltou Nicolas Hatton, que pede que a questão dos direitos dos cidadãos europeus seja tratada como prioridade nas negociações.