rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês
  • Primeira-ministra britânica, Theresa May, anuncia sua renúncia para 7 de junho
Meio Ambiente
rss itunes

Como a Dinamarca quer se tornar o primeiro país com agricultura 100% orgânica

Por Lúcia Müzell

E se a preocupação com os efeitos dos agrotóxicos pudesse simplesmente desaparecer do seu cotidiano? Esse é o ambicioso objetivo da Dinamarca, que trabalha para se transformar no primeiro país com a agricultura 100% orgânica.

Com produção de Agnieszka Kumor, enviada especial da RFI à Dinamarca

A RFI foi ao país para entender como será possível chegar a essa façanha, que começou a ser plantada há 20 anos. Políticas públicas específicas foram adotadas para, de um lado, estimular os agricultores a mudar e, de outro, atiçar o apetite dos consumidores por produtos ecológicos. Ao mesmo tempo, a superfície agrícola com cultivo orgânico foi planejada para dobrar até 2020, em relação aos índices de 2007.

O plano em curso tem um orçamento de € 53 milhões, essenciais para a ampliação dos subsídios e incentivos para os produtores de orgânicos. Graças à ajuda, profissionais habituados às grandes cidades, como o casal de engenheiros químicos Elisabeth e Otto Rasmussen, puderam jogar tudo para o alto e abraçar o sonho de levar uma vida mais tranquila no campo. Eles começaram com um pequeno sítio nos anos 1990.

Hoje, mantêm uma propriedade de 134 hectares em Birkerød, onde cultivam frutas e legumes orgânicos e proporcionam condições ideais de desenvolvimento para suas vacas, que vivem soltas a maior parte do tempo.

“Todos os dias, vendemos aqui na nossa loja os legumes colhidos no próprio dia. Os clientes podem passear no campo e ver de onde vêm os produtos. Fazemos questão de fazer explicar tudo que fazemos para os clientes, para que eles entendam a relação entre esse trabalho cuidadoso e o verdadeiro gosto das frutas e legumes”, afirma Otto.  

Comprar orgânicos se tornou um hábito

As políticas de Estado fizeram os dinamarqueses se ligarem à causa: mais da metade da população compra pelo menos uma vez por semana produtos orgânicos, como Camila, uma mãe frequentadora de um café na capital, Copenhague. “A cada vez que faço compras, compro pelo menos 70% de orgânicos. Sou vegana há muitos anos, mas compro carne para a minha família. E me preocupo muito com a questão do bem-estar animal.”

Faz tempo que os produtos orgânicos se expandiram pra bem além dos mercados especializados, como explica Kirsten Lund Jensen, responsável pelas questões de ecologia no Conselho Dinamarquês de Agricultura e Alimentação.

“Na Dinamarca, podemos encontrá-los facilmente em supermercados do tipo ‘atacadão’. No início, os produtores ficaram com medo da desvalorização dos produtos. Mas se quisermos ampliar de verdade um setor, é preciso ter volume. Não podemos ficar num mercado de nicho”, ressalta Jensen. “Então, massivamente, os agricultores foram transformando suas produções em orgânicas e isso permitiu baixar os preços para os consumidores.”

Após dinossauros, Terra pode estar em sexta extinção em massa de espécies

Receitas ensinam a fazer até desodorante caseiro para evitar produtos tóxicos

Carne sintética: revolução contra a poluição da pecuária ou demagogia?

Alta da demanda levanta dilemas da industrialização da agricultura orgânica

Paris agora tem guia de restaurantes sustentáveis inspirado no Michelin

Contra a ingestão de lixo espalhado nos campos, ímãs na barriga das vacas

Purpurina sem plástico, copo reutilizável: ideias para poluir menos no Carnaval

Tragédia em Brumadinho mostra que Brasil ainda não aprendeu a lidar com a impunidade, diz pesquisadora na França

Problema da água no Brasil não é técnico e sim cultural, diz especialista em recursos hídricos israelense

Diante de inércia dos governos, cresce mobilização cidadã contra mudanças climáticas

Sede da COP24, Katowice é exemplo da transição ecológica na Polônia