rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês
  • Giuseppe Conte anuncia demissão do cargo de primeiro-ministro da Itália

França extrema direita Europa Assassino Nova Zelândia Doação

Publicado em • Modificado em

Assassino da Nova Zelândia fez doações para grupo de extrema direita da França

media
Manifestação do grupo de extrema direita Génération Identitaire em 2016, em Paris. MATTHIEU ALEXANDRE / AFP

O movimento de extrema direita francês Génération Identitaire (Geração Identitária, em português) recebeu duas doações do assassino de Christchurch, na Nova Zelândia, em setembro de 2017, contabilizando um total de € 1.000 euros em conta bancária, afirmou nesta quinta-feira (4) um porta-voz do grupo, confirmando informações da imprensa austríaca.


"Os depósitos foram feitos em contas que tinham sido fechadas devido a uma mudança bancária", disse Romain Spino, representante do grupo de extrema direita francês. As doações on-line foram feitas através de uma empresa, a Stripe, que encontrou em seus arquivos o nome de "Breton Tarrant" como autor dos depósitos, explicou Espino.

Breton Tarrant, extremista australiano, autoproclamado "fascista", assassinou em 15 de março 50 pessoas em duas mesquitas na cidade de Christchurch, na Nova Zelândia.

O porta-voz da Geração Identitária disse que não teve contato com o autor da carnificina, dizendo que se tratava de uma "doação on-line, que qualquer um pode fazer em qualquer lugar do planeta ". Espino disse que não "compartilha nada" com Brenton Tarrant, a quem chama de "terrorista". "Suas intenções eram focadas na violência, enquanto as nossas se concentram na ação política, nas regras do debate".

Em um comunicado, o movimento francês alega que Brenton Tarrant, "fazendo uma doação para Geração Identitária, espera justamente forçar o governo a nos atacar e provocar uma reação radical de nós. Do nosso lado, sempre agimos de maneira não violenta para despertar consciências e estamos convencidos de que nossas idéias podem chegar ao poder dessa maneira".

Viagens do assassino à Europa

Antes de agir, Brenton Tarrant publicou um "manifesto" racista intitulado "The Great Replacement", em referência a uma tese conspiratória popular em círculos de extrema-direita que denuncia uma suposta substituição das populações branca europeia e cristã por imigrantes de cor, principalmente muçulmanos. A investigação revelou que Breton Tarrant tinha feito várias viagens à Europa e especialmente à França, que alimentaram seu radicalismo e sua ideologia racista.

Outra doação feita por Brenton Tarrant ao Movimento de Identidade Austríaco (IBÖ) em 2018 desencadeou na semana passada uma investigação pelas autoridades austríacas. Co-fundador e líder do IBÖ, o austríaco Martin Sellner reconheceu ter recebido uma transferência de € 1.500 de Tarrant. Mas ele assegurou que não possuía nenhum contato pessoal com ele. O governo austríaco disse após as revelações que não descarta a dissolução do IBÖ.

O governo francês disse nesta quarta-feira (3) que está estudando maneiras de "dissolver" o grupo Génération Identitaire após uma recente ação anti-imigrantes de seus ativistas no telhado de um prédio administrativo na região de Paris.