rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês
Brasil-Mundo
rss itunes

Mãe e filha brasileiras dão curso gratuito de história da arte em Roma

A paixão pela arte reforça o elo entre mãe e filha. As duas juntas dão aulas de história da arte italiana para brasileiros no Centro Cultural Brasil-Itália, no Palácio Pamphilj em Roma, sede da embaixada do Brasil. 

Gina Marques, correspondente da RFI em Roma

Leda Ayres Pinheiro, 62 anos, nasceu em São Paulo, onde se formou em psicologia. Nos 33 anos que vive na Itália, ela aproveitou para estudar história da arte e hoje trabalha como guia turística credenciada. 

Sua filha Chiara Triggiani, 28 anos, que nasceu em Roma e é formada em História da Arte na Universidade Roma Ter, escolheu a mesma profissão.

A jovem se sente também brasileira e faz questão de acrescentar nas redes sociais o sobrenome materno, pois tradicionalmente na Itália os filhos têm só o sobrenome do pai.

Chiara Triggiani Arquivo Pessoal

“Nunca compartilhamos um mesmo curso, é a nossa primeira experiência juntas e sozinhas. A ideia surgiu dois anos atrás com o cônsul-geral do Brasil em Roma, Afonso Carbonar. A finalidade é a inclusão das mulheres brasileiras para que elas tenham maior a aceitação na Itália, inclusive social”, conta Leda enquanto Chiara acrescenta: “É interessante que somos duas pessoas muito diferentes, um pouco como Platão e Aristóteles: somos diversas e complementares”.

Da Pré-História ao Barroco

O curso, chamado “Pinceladas de Arte”, é composto por seis aulas que abrangem a evolução da estética desde a Pré-História, passando pelos  antigos egípcios, gregos, romanos, seguindo pelos períodos da Idade Média, Renascimento até chegar no Barroco. As lições são em português.

A primeira aula ocorreu em 19 de março, durante inauguração da III Semana da Mulher Brasileira em Roma (de 18 a 22 de março de 2019), e a última será em 29 de abril.

Cada aula tem duas horas – incluindo as perguntas dos alunos. As explicações são acompanhadas por imagens das obras de arte projetadas em um telão. Em cada imagem de um quadro ou escultura, elas ressaltam a história dos artistas com anedotas e curiosidades.

Leda Ayres Arquivo Pessoal

Chiara quis dedicar uma aula inteira a Leonardo da Vinci, o gênio da arte italiana. “Em 2019 celebram-se os 500 anos da morte de Leonardo da Vinci. Eu pensei que seria muito bonito e devido fazer uma homenagem específica para ele” disse a jovem.

Desafio: resumir séculos de história em duas horas

Mãe e filha reconhecem que não foi fácil preparar o curso, nessa primeira experiência juntas. Inicialmente, a mãe queria que a filha desse as aulas sozinha para adquirir experiência. “Porém o cônsul insistiu que eu participasse. Eu expliquei que falaria só um pouquinho, mas a Chiara também quis que eu desse a metade da aula. Então dividimos o trabalho”, disse Leda.  “Tivemos que elaborar o nosso método. Além disso, não foi fácil resumir tudo. Os temas começam desde pré-história. Foi um grande trabalho de síntese”, explica a mãe.

O curso é grátis. Chiara e Leda também não recebem nenhuma remuneração. Cerca de 20 alunos acompanham as lições. São homens e mulheres, jovens e idosos, brasileiros e alguns italianos que além de gostar da arte, querem aprender português.

“Quando se vive fora do próprio país, você pode não conhecer bem o idioma e falar tudo errado porque está aprendendo a língua. Mas se o pouco que a pessoa fala são coisas inteligentes, então demonstra que é culta e cultura dá respeito”, observa Leda.

Brasileiros expatriados criam canais nas redes sociais com dicas sobre viver em Portugal

Cineasta brasileiro apresenta filme sobre ator uruguaio George Hilton em festival de Milão

Jovem talento de Paraisópolis tem experimento testado em parceria com a Nasa

Estilista Napoleão César celebra carreira na Itália com explosão de cores

Visão modernista do paisagista Burle Marx é destaque em exposição em Nova York

Brasileiro de 13 anos é primeiro sul-americano no principal concurso de violino do mundo

Brasil disputa mercado de locações de filmagens em Hollywood, mas ainda é pouco competitivo

Forró vira mania em Portugal e brasileiros investem no mercado do baião

Nacionalismo dos húngaros leva cineasta brasileiro a produzir filme na Alemanha

UE tem problema de comunicação e não desperta paixões, diz brasileira especialista em política europeia

Escritor ítalo-brasileiro cria associação para ajudar estrangeiros na Itália

Ítalo-brasileira disputa vaga de eurodeputada para ser "a voz da Amazônia" no Parlamento Europeu

Executiva brasileira lança em Londres rede social inédita sobre ansiedade no trabalho

Brasileira Simone Menezes é finalista do 1° concurso mundial de regentes mulheres em Viena

“Aquarelas do Descobrimento”, de Carybé, sai primeira vez do Brasil para exposição em Lisboa