rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês
Linha Direta
rss itunes

Festival de música eletrônica expõe Bélgica como polo europeu de drogas pesadas

Por RFI

Todo verão a Bélgica se transforma em um dos destinos mais cobiçados para os fãs da música eletrônica. O Tomorrowland, um dos maiores eventos dedicado ao gênero, está comemorando 15 anos, com muito techno e a forte presença de drogas pesadas.

Letícia Fonseca-Sourander, correspondente da RFI em Bruxelas

A edição deste ano de um dos festivais de música eletrônica mais badalados da Europa, o Tomorrowland, em Boom, na Bélgica, extrapolou em matéria de drogas. No final de semana passado, o primeiro do evento, foram detidos nada menos do que 24 traficantes e 231 pessoas  foram expulsas após pagarem multas por posse de entorpecentes. Um indiano de 27 anos morreu e quatro jovens estão internados na UTI do Hospital Universitário da Antuérpia.

Apesar da política de tolerância zero às drogas e o controle rigoroso na entrada do Tomorrowland, foram apreendidos 820 comprimidos de ecstasy, 139 gramas de cocaína, 198 gramas de MDMA – uma das formas mais puras do ecstasy, 153 gramas de ketamina, 54 ml de GHB – o ecstasy líquido, 9 gramas de maconha e 1 grama de haxixe. Com um público estimado em 400 mil pessoas, a primeira etapa do Tomorrowland aconteceu nos dias 19, 20 e 21 de julho; o segundo final de semana será nos dias 26, 27 e 28 de julho.

Fabricação local

De acordo com autoridades da Antuérpia, as drogas comercializadas e consumidas no Tommorrowland são fabricadas aqui mesmo na Bélgica e na Holanda. Os jovens de outros países que vêm para participar do festival desconhecem a qualidade dos produtos vendidos no mercado belga. “Isso é um perigo” – afirma Stéphanie Chomé, porta-voz da Procuradoria da Antuérpia – “a quantidade dos elementos puros nestas drogas são muito maiores do que as que são vendidas no exterior”.

Um estudo realizado pela Europol e o Observatório Europeu da Droga e Toxicodependência (OEDT) mostrou que a Bélgica é o país da Europa onde as drogas ilícitas são mais puras e mais baratas. O fato de o país estar no início da cadeia de distribuição dos entorpecentes no continente explica o mercado aquecido de drogas sintéticas a preços baixos.

Atualmente, há cada vez mais drogas circulando nas cidades europeias. No mês passado, o Observatório Europeu da Droga e Toxicodependência apresentou em Bruxelas um relatório mostrando o crescente papel da Europa na produção de drogas sintéticas produzidas em laboratórios. Foram detectadas 55 novas substâncias psicoativas, elevando para 730 o total.

Call centers e esgotos

O grau de pureza da cocaína atingiu o nível mais elevado da última década. Além disso, houve um aumento recorde de apreensão de cocaína, a droga ilícita mais consumida na União Europeia. Métodos inovadores de distribuição do produto através de call centers que garantem entregas rápidas aos hoje cerca de 2,6 milhões de jovens adultos – entre 15 e 34 anos – usuários da droga no continente.

Análises feitas nos esgotos de várias cidades europeias revelaram padrões do consumo das drogas. Barcelona é a capital europeia da cocaína, seguida por Zurique e Antuérpia, na Bélgica. O aumento da potência de produtos de cannabis na Europa também preocupa a agência europeia de drogas.

 

Crise italiana: presidente dá ultimato a partidos e quer novo governo até terça-feira

Incêndio destrói 500 mil hectares de vegetação na Bolívia e abala campanha de Evo Morales

Europa se prepara para liberar cannabis para tratar epilepsia em crianças

Derrota de Macri desarmaria trio Macri-Bolsonaro-Trump na América do Sul

Violência diminui em protestos em Hong Kong, mas movimento mantém reivindicações

Israel recua e autoriza visita de deputada americana “por razões humanitárias”

Tropas chinesas na fronteira com Hong Kong anunciam mais tensão nos protestos

Suécia endurece lei antitabaco e proíbe até cigarro eletrônico em locais públicos

Festival de Cinema de Locarno tem filmes sobre índios e negros no Brasil

República Democrática do Congo não consegue conter ebola e registra novas contaminações

Renegociação do acordo sobre Itaipu não põe fim à crise política no Paraguai

EUA e China retomam negociações comerciais em Xangai, mas sem grandes entusiasmos

Após fim de semana de confrontos em Hong Kong, Pequim quer punição dos manifestantes