rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

Argentina Assassinato França

Publicado em • Modificado em

Corpos de francesas assassinadas na Argentina chegam à França

media
Os corpos das duas francesas assassinadas na Argentina chegou nesta quarta-feira à França. REUTERS/Jorge Luperne

Os corpos de Cassandre Bouvier, 29 anos, e Houria Moumni, 24 anos, as duas francesas assassinadas no final de julho na Argentina, chegaram nesta quarta-feira ao aeroporto de Roissy, na região parisiense.


As estudantes foram encontradas por um grupo de turistas no dia 29 de julho na reserva natural de cerro de San Lorenzo, uma região turística da província de Salta, a 1600 quilômetros de Buenos Aires. O laudo do Instituto Médico Legal aponta que as duas foram agredidas, e uma delas, estuprada.  Em seguida, Houria e Cassandre foram mortas a tiros. O local do crime foi localizado graças às fotos encontradas nas máquinas fotográficas das vítimas.

Sete suspeitos foram presos e dois deles, Vera Clemente dos Santos e Omar Dario Ramos, reconheceram ter agredido as estudantes, mas negam terem atirado nas francesas. O suposto autor dos disparos, Daniel Vilte Lasi, também está detido desde o dia 2 de agosto.

O interrogatório dos suspeitos terminou nesta terça. Nesta quarta-feira, a polícia confirmou que a arma, de calibre 22, encontrada no dia da prisão dos suspeitos, se trata da arma do crime. As circunstâncias do assassinato, que ainda não foram totalmente esclarecidas. Segundo fontes ligadas à justiça argentina, Houria teria resistido à tentativa de estupro e conseguido fugir, mas foi baleada nas costas.

Em uma carta enviada ao chanceler francês, Alain Juppé, o ministro das relações exteriores argentino, Hector Timerman, declarou que o governo argentino faria o necessário para esclarecer o crime.

Alunas exemplares

Em entrevista ao jornal Le Parisien, Georges Couffignal, diretor do Instituto de Altos Estudos da América Latina, onde as francesas estudavam, descreve as alunas como  "brilhantes." Houria tinha acabado de escrever uma tese sobre a imigração síria e libanesa na Argentina e Cassandre viajava regularmente ao país. Em junho, ela organizou um seminário sobre o Orientalismo na América Latina, onde encontrou Houria. Foi nesta ocasião que as duas decidiram tirar alguns dias de férias para viajar na Argentina.