rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

Dominique Strauss-Kahn Violência sexual Estupro Polícia Justiça

Publicado em • Modificado em

Strauss-Kahn presta depoimento em inquérito de assédio sexual na França

media
Polícia francesa interroga Strauss-Kahn‎ no âmbito da investigação iniciada por uma suposta tentativa de estupro em 2003. REUTERS/Gonzalo Fuentes

O ex-diretor-gerente do FMI Dominique Strauss-Kahn prestou depoimento à polícia na manhã desta segunda-feira, em Paris, no inquérito que investiga uma suposta tentativa de estupro ocorrida em 2003, segundo acusação da jornalista e escritora francesa Tristane Banon.


A pedido de Dominique Strauss-Kahn, a polícia francesa ouviu o depoimento do político socialista. Logo após ser acusado de crimes sexuais em Nova York, em maio passado, a jornalista e escritora Tristane Banon decidiu prestar queixa contra Strauss-Kahn. Ela afirma ter sido vítima do assédio de Strauss-Kahn em 2003, durante um encontro marcado com ele para realizar uma entrevista.

Banon diz que Strauss-Kahn a atacou quando os dois se encontravam sozinhos num apartamento parisiense. O caso não tem testemunhas oculares, mas a polícia já ouviu várias personalidades que teriam tomado conhecimento do assédio na época. Strauss-kahn nega as acusações. 

Para encerrar o inquérito francês, a polícia só aguardava o depoimento de Strauss-Kahn. O Ministério Público poderá, em seguida, levar o processo adiante na justiça, arquivá-lo ou considerar que os fatos estão prescritos.

O ex-diretor do FMI retornou à França no início de setembro, depois de a justiça americana abandonar sete acusações de crimes sexuais ao seu encontro apontadas pela camareira Nafissatou Diallo. A camareira, de origem guineana, ainda tenta obter uma indenização de Strauss-Kahn na justiça cível americana.