rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

Expulsão França François Hollande Imigração Justiça Kosovo Leonarda Dibrani Polêmica

Publicado em • Modificado em

Justiça francesa analisa se Leonarda e sua família poderão voltar ao país

media
A jovem kosovar Leonarda Dibrani se recusou a voltar à França sem a família. Reuters/Hazir Reka

Nesta terça-feira, a justiça francesa começa a examinar o recurso da família cigana Dibrani, expulsa em outubro do ano passado para o Kosovo. As circunstâncias em que a estudante Leonarda, uma das filhas do casal, foi detida, acabaram desencadeando uma polêmica com repercussão internacional, afetando a imagem do governo socialista.


Quem não se lembra da jovem estudante Leonarda, de 15 anos, detida diante de professores e colegas pela polícia em um ônibus escolar, para ser expulsa para o Kosovo? 

O fato comoveu o país e teve repercussão internacional. Leonarda e sua família deram entrevistas para jornais e TVs nacionais e estrangeiras, e o presidente François Hollande virou "o lobo mau" na história, após confirmar que deixaria a jovem voltar para continuar os estudos, mas sem os pais e irmãos. O caso acabou virando um quebra-cabeças para o governo e afetou a imagem de Hollande, criticado pela oposição mas também pelo seu próprio campo.

Recurso para voltar à França

A partir desta terça-feira, 7 de janeiro, o tribunal de Besançon, no leste do país, começa a analisar o recurso apresentado pela família. A mãe de Leonarda declarou que tem esperança de conseguir uma carteira de residente para regressar. O casal, junto com os sete filhos, vive atualmente na cidade de Kosovska Mitrovica, no norte do Kosovo. Apesar de alegarem que quase não têm o que comer, um funcionário local afirmou à agência France Presse que eles recebem uma ajuda do governo kosovarde 500 euros por mês, em torno de R$1.620, e não pagam o aluguel do local em que moram.

O casal Dibrani e seus sete filhos, com idades entre um e 23 anos, chegaram clandestinamente à França em janeiro de 2009, depois de terem vivido vários anos na Itália. Resat Dibrani, o pai de Leonarda, reconheceu que mentiu à justiça francesa ao afirmar que toda a família era do Kosovo, achando que teria mais chance de conseguir asilo. Na verdade, somente ele nasceu na antiga província sérvia.